terça-feira, 30 de setembro de 2014

Se Aécio depender de Alkmin, de Serra, de seu próprio vice, Aloysio Nunes, ou do PSDB, está roubado!

Do CoroneLeaks
O governador Geraldo Alckmin e José Serra não prestigiaram Aécio Neves (PSDB) no debate da Record. O vice da chapa, Aloysio Nunes foi embora antes de o programa começar. O trio, em pleno domingo à noite, depois das 22 horas, talvez tivesse algo mais importante a fazer. Ver os gols do Fantástico?

Resumindo, a porra do PSDB, coalhado de frescos ciumentos, vaidosos e egoístas, cada vez mais mostra sua incapacidade de se unir em torno de um objetivo comum. É um partido cujos membros só se importam em disputar quem faz o cocô mais cheiroso, pouco ligando para o “Democrático” do nome.

A cada dia que passa, essa merda de partido mais se assemelha ao infausto PT, se não em desonestidade, em ganância e burrice dos seus membros.

Preta, pobre e inteligente

Qual é o problema? É muito mais comum que se pensa, só que o pessoal do politicamente correto não gosta e nem vai dar valor a Geórgia Gabriela da Silva Sampaio - e nem a nenhum preto que se destaque por mérito - pelo seu feito de ser finalista em um concurso em Harvard. Comunistas detestam valores individuais e nunca vão perdoar o fato dela ter chegado aonde chegou sem a ajuda das famigeradas cotas raciais.

Parabéns, Geórgia!

Rodrigo Constantino: Negra, nordestina e em Harvard? Meritocracia!

Às vezes focamos apenas nas coisas ruins. Faz parte do papel da imprensa, e há tanta coisa errada com esse país que assunto é o que não falta. Mas é importante de vez em quando falar de coisas boas. E essa notícia que um leitor que mandou merece destaque, sem dúvida, pois demonstra a importância da meritocracia, do esforço individual na vida de cada um:

“Eu já quebrei paradigmas, pois sou negra, nordestina e de uma cidade do interior. Mesmo assim consegui ficar entre os finalistas desse concurso fora do meu país. Para mim, já é uma vitória”. A frase é da jovem de Feira de Santana (a 109 km da capital) Geórgia Gabriela da Silva Sampaio, 18, que participa de um concurso da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, junto com estudantes do mundo todo.

Foram 40 trabalhos inscritos,  16 do Brasil, sendo o dela o único da Bahia. Uma votação na internet escolheu os 15 melhores trabalhos como finalistas, o de Geórgia foi o quinto mais votado. “Foi difícil chegar até aqui, pois os trabalhos podem ser feitos em grupo ou individualmente. Estou concorrendo com alguns grupos e isso não deixa de ser um ponto a menos para mim, que estou sozinha. Mas creio que chego lá”, diz a estudante.

Geórgia sonha  cursar engenharia em uma universidade no exterior. O trabalho selecionado para o concurso é a criação de um kit para diagnosticar de forma rápida e barata a endometriose, doença que atinge nada menos que seis milhões de mulheres no Brasil e 170 milhões no mundo. A ideia surgiu com a experiência obtida com uma tia, que passou pelo problema.

De família humilde, a estudante conta que desenvolveu o trabalho pensando nas pessoas com menor poder aquisitivo. Dessa forma, investiu num kit que pudesse ser barato e acessível aos serviços públicos.

Parabéns, Geórgia! Que seu caso sirva de exemplo para milhões de outros brasileiros. É possível lutar para melhorar de vida por conta própria, sem depender de esmolas estatais, sem apelar para cotas raciais. Ninguém chega em Harvard só pela cor da pele ou porque é nordestina e apela à vitimização. Lá não tem essa: é preciso demonstrar capacidade. E ao que tudo indica você tem demonstrado justamente isso, inclusive com visão empreendedora, ao criar um kit de diagnóstico mais barato para uma doença.

Não espere apoio de ONGs como a Educafro, do Frei David Santos, pois o movimento racial não quer saber de negros bem-sucedidos por mérito pessoal. Ao contrário: isso depõe contra sua agenda política coletivista, que depende da visão de oprimidos incapazes dos negros para sobreviver, vendendo amuletos e privilégios.

Sei que sua vida não deve ter sido fácil, mais pelas limitações financeiras do que pela cor da pele, já que o Brasil pode ser um país com racismo, não é um país racista. Ainda assim você tem provado que é possível dar a volta por cima, apesar de tudo, a despeito de todas as barreiras que o próprio governo muitas vezes cria.

Siga em frente que você vai longe. Harvard te aguarda, e se não ela, outra tão boa quanto. Os Estados Unidos ainda são um país que valoriza o mérito individual. Aproveite essa oportunidade!

Anta ou poste?

A Dilma não é um poste, mas sim uma anta em cima do poste.

Quando a gente vai indo por uma estradinha, vê um poste, e lá em cima tem uma anta tentando se equilibrar, isso é uma anta num poste. A gente não entende como ela chegou lá, não acredita que ela esteja lá, sabe que ela não subiu lá sozinha, sabe que ela não deveria nem poderia estar lá, sabe que ela não vai fazer absolutamente nada enquanto estiver lá e não entende por que a colocaram lá. Então, tudo o que temos a fazer é ajudá-la a descer de lá. E providenciar para que nunca mais suba lá, pois lá em cima, definitivamente, não é o lugar dela.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

“Padrões de beleza alternativos” para mulheres - desculpa de baranga feia e porca

Agora vocês vejam se isso pode ser “padrão de beleza”:


Bleargh!

Isso é do tal site “Pelos Pelos”, que reivindica o tal padrão. Quiuspariu!

Do Globo:

Campanhas em redes sociais exaltam padrões de beleza alternativos para mulheres

Compartilhar fotos de estrias no Instagram e exibir a barriga sem medo no Facebook. A diversidade dos corpos femininos nunca foi tão celebrada, impulsionada por grandes mobilizações nas redes sociais. Enquanto isso, memes e ações desconstroem princesas de contos de fadas. Mulheres do mundo inteiro se articulam para contestar padrões caricatos de beleza e viver, na era digital, uma nova libertação.

“Parem a loucura da beleza!”, sentencia a escritora britânica Robin Rice num projeto difusor de imagens que simulam peças publicitárias marcadas por um tom provocativo e irônico. “Então, se alisar o meu cabelo, vou me dar bem na vida?”, diz uma delas, acompanhada pela foto de uma criança com cabelo crespo. “O único relacionamento que devo ter é com a balança?”, questiona outra, com a foto de uma mulher gorda abraçada ao aparelho.

- A indústria estabeleceu um padrão que praticamente ninguém pode atender. Estão usando Photoshop até mesmo nas imagens daquelas que se dedicam a ser as mais bonitas. O que podemos dizer sobre isso? As mulheres, independentemente de seus manequim, salário ou educação, têm que lutar contra sentimentos de uma imagem corporal negativa e inadequada. Poucas conseguem escapar - avalia Robin.

A escritora lembra que o problema se revela ainda mais grava quando levada em consideração a forma como a realidade age sobre as crianças. Ela lembra que muitas garotas estão sendo influenciadas pelas mães que vivem uma baixa autoestima e “aprenderam” a conviver com a vergonha do corpo.

- Meninas em idade pré-escolar já sentem vergonha diante dos seus colegas. Já os meninos estão apresentando problemas para criar relações respeitosas a partir da definição do que é a beleza - observa.

Imagem da campanha "Stop the beauty madness" questiona o alisamento de cabelos - / Reprodução / Internet
Um número crescente de ações faz barulho na internet. No último verão do Hemisfério Norte, o Instagram foi inundado por fotografias de garotas plus size em roupas de banho que usavam a etiqueta #fatkini, junção das palavras gorda e biquíni. A mesma rede social abriga o perfil “@loveyourlines” (ame suas estrias), em que duas mães começaram a reunir fotos de corpos normais. “Somos duas mães celebrando as mulheres reais”, escreveram.

Em terras brasileiras, um coletivo de artistas mira a ditadura da depilação. Eles criaram o site “Pelos pelos”, em que compartilham ensaios fotográficos que exaltam a beleza de corpos ao natural, justamente por considerar esse um dos maiores tabus da beleza feminina aqui.

- Não quero ser considerada masculina ou desleixada só por não me depilar. Isso, aliás, não significa não cuidar da aparência - justifica a fotógrafa do coletivo Nubia Abe, de 28 anos.

Enquanto isso, a blogueira Jéssica Ipólito segue com o blog “Gorda e sapatão”, que promove discussões sobre temas como racismo, opressões sociais e defesa dos diferentes tipos de corpos. Recentemente, ela criou o “#desafiodagorda”, em que convoca internautas a representar artisticamente o corpo da mulher obesa. A resposta veio logo, e Jéssica tem compartilhado em seu blog várias imagens e histórias.

- Fui gorda. Na adolescência, minha mãe ficava me oferecendo dietas, e eu não entendia por que tinha que fazer aquilo. A mesma coisa foi com o meu cabelo, que, apesar de ser enrolado, passei a adolescência alisando. Só depois comecei a refletir sobre o que estava por trás disso - ela descreve.

Uma pesquisa feita pelo Data Popular e o Instituto Patrícia Galvão mostrou que 56% dos entrevistados, homens e mulheres, consideram que as propagandas exibidas na TV não mostram as brasileiras reais, e 60% consideram que as mulheres ficam frustradas quando não se veem retratadas. Mais: 51% querem ver mais negras, e 64% pedem mais mulheres das classes populares nas propagandas.

- A percepção dessas diferenças e da imposição de valores sempre esteve presente entre as mulheres. A novidade é que, nos últimos anos, as redes sociais possibilitaram a ampliação desse debate - afirma a vice-diretora do Instituto Patrícia Galvão, Mara Vidal.

Integrante da Rede Mulher e Mídia, que articula ativistas e organizações em defesas da mulheres, Bia Barbosa afirma que a movimentação é importante e já surte efeitos, como a retirada de propagandas ofensivas do ar e uma mudança de postura das empresas. Como exemplo, ela cita a redução no uso da mulher como “atrativo” em propagandas de cervejas. Apesar disso, salienta, é preciso muito mais:

- Esse debate ainda não chegou ao conjunto da população. Basta chegar a uma banca e observar as capas das revistas. As pessoas continuam criticando a Beth Faria (atriz de 73 anos) por ir à praia de biquíni.

Clonaram o Toma Mais Uma!

Um dos posts copiados por M.Americo
Essa é boa! Um blog chamado “LOROTAS POLÍTICAS & VERDADES EFÊMERAS” simplesmente copia e cola tudo que eu escrevo e publico. Cheguei lá por acaso, através de uma busca no Google, e descobri a coisa, que, dos dez posts mais recentes, nove foram tirados daqui.

Menos mal que meu nome vem sempre lá embaixo, mas bem que o Toma merecia mais destaque, um link, pelo menos.


Debate de ontem na Record: a lesma lerda de sempre

Eu nem sabia, mas ontem houve debate dos presidenciáveis na TV do Macedo. Por não saber, peguei os dois blocos finais por acaso, ao procurar algo que prestasse para assistir e algumas coisas me chamaram atenção. A que mais saltou aos olhos é a absoluta impossibilidade de um programa com sete candidatos debatendo dar certo. Se não me engano foram cinco blocos e, em cada um, cada presidenciável tinha direito a dois minutos e meio, picados, e mais meio para perguntar, quando fosse o caso.

Depois, os candidatos nanicos nunca fogem à regra de serem meras atrações circenses, justificando plenamente suas posições nas pesquisas, e dedicam seus tempos a atrapalhar o debate com colocações e propostas estapafúrdias. Juntando os anões de circo com o problema do excesso de debatedores, a coisa vira um manicômio.

Fora isso, o que deu para notar é que Dilma fala demais, mas não responde a nada, é burra, agressiva e antipática ao extremo; que Aécio é seguro, preparado, inteligente, mas ainda não rasgou os punhos de seda comuns aos tucanos - falta agressividade, e muita - e, quanto a Marina, coitada, esquálida e com aquele ar de recém-saída de alguma foto do Sebastião Salgado, uma voz monocórdia, fraca e cansativa, dá pena, mas irrita, porque tal e qual Dilma, fala, fala, mas não diz nada, muito provavelmente por não ter nada mesmo a dizer - não tem estatura e nem estrutura para ser coisa nenhuma: um zero à esquerda.

Em suma, perdi meu tempo, até porque não vou mudar meu voto nem por decreto.

domingo, 28 de setembro de 2014

Para proteger a viadagem, o Brasil é líder, já para proteger o cidadão comum é lanterna

Muito preocupado em jogar para a torcida gay, agindo de acordo com o “politicamente correto”, o “dernier cri” dos esquerdopatas em geral, o governo do Brasil do PT liderou na ONU uma resolução para debater a violência contra homossexuais.

Só para dar uma ideia do absurdo que é isso, o Grupo Gay da Bahia, a mais antiga associação de defesa dos direitos humanos dos homossexuais no Brasil, divulgou, no Relatório de Assassinato de LGBT, que em 2012, foram assassinados 388 gays, travestis e lésbicas no Brasil, incluindo uma transexual brasileira morta no Reino Unido e um gay morto na Espanha. Já quando o assunto é a população em geral, ocorreram 50.108 homicídios no Brasil.

Morre um LGBT assassinado a cada 22hs e 30min enquanto algum cidadão comum é assassinado a cada 10min e 30 seg. Ou seja, morrem 137 cidadãos brasileiros assassinados por dia e, entre estes, só um é gay. Mesmo levando-se em conta que, segundo estimativas, existem 20 milhões de LGBTs no Brasil (10% da população) a taxa fica em um homicídio para cada 51.546 gays por ano, enquanto para o “resto” da população a taxa sobe para um em cada 3.592.

Ora, por lógica, quem deveria ser protegido e merecer resoluções na ONU seria o povo comum, já a taxa de mortalidade dele é 15 vezes maior que a dos LGBTs.

Chega de tanta viadagem, pombas!

Só para constar, do Estadão:

GENEBRA - Liderada pelo Brasil, uma resolução foi aprovada nesta sexta-feira, 26, na ONU introduzindo de forma definitiva o debate sobre a violência contra homossexuais na agenda das Nações Unidas. O projeto apenas pede que a entidade faça uma avaliação a cada dois anos sobre as violações contra gays, mas já era suficiente para ser atacado por diversos governos como “imperialismo cultural”. Na prática, o documento transforma a ONU em um instrumento para expor e denunciar governos que criminalizam o homossexualismo.

O Estado revelou com exclusividade há duas semanas o projeto que, além do Brasil, era patrocinado por Chile e Uruguai. A esperança de Brasília era de que o projeto não exigisse uma votação e que o documento fosse aprovado por consenso. Mas, diante da resistência de africanos e árabes, o Conselho de Direitos Humanos, com sede em Genebra, foi obrigado a chamar um voto.

A resolução acabou passando por 25 votos a favor, 14 contra e sete abstenções, em um reflexo de como o assunto divide a comunidade internacional. O texto orienta a ONU a realizar levantamento da violência e ataques contra homossexuais a cada 2 anos, além de “expressar a grave preocupação contra atos de violência e discriminação cometidos contra indivíduos por causa de sua orientação sexual e identidade de gênero”.

Ao lado do Brasil votou o governo dos Estados Unidos. Nesta semana, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, havia declarado que daria “todo seu apoio” à iniciativa. No início do ano, Washington chegou a ameaçar cortar a ajuda ao governo de Uganda diante de medidas contra homossexuais no país africano.

Nesta sexta, uma aliança de governos latino-americanos e europeus garantiu votos suficientes para aprovar o texto. Já no campo contrário estavam Argélia, Botswana, Costa do Marfim, Etiópia, Gabão, Indonésia, Quênia, Kuwait, Marrocos e Arábia Saudita.

As críticas mostraram o racha entre Ocidente e o mundo islâmico. “O termo orientação sexual pode ser destrutivo e é um inimigo à fé muçulmana e aos jovens”, declarou a delegação do Paquistão, em um documento enviado à ONU.

“Esta resolução é uma violação aos direitos humanos e é uma imposição cultural”, atacou a delegação saudita.

Os Brics - Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul - não votaram em bloco. A surpresa para muitos foi a rejeição do governo de Vladimir Putin pela proposta. A esperança era de que Moscou pelo menos se abstivesse. Já a Índia preferiu se abster.

Também estava sendo observado com atenção o voto sul-africano. O país toma a defesa de homossexuais, mas estava sendo pressionado pelo bloco africano a seguir a linha do continente, contrária à resolução. Pretória acabou votando ao lado do Brasil.

Para a Human Rights Watch, a aprovação da resolução proposta pelo Brasil é “um marco” na defesa dos direitos dos homossexuais. Segundo a entidade, um total de sete emendas foram apresentadas para tentar “aguar” o documento. “Esse é um momento significativo para o movimento LGBT”, declarou MonicaTabengwa, representante da entidade. “O documento manda uma mensagem forte”, declarou Jonas Bagas, da entidade TLF, das Filipinas.

Quanto mais apodrece o escândalo da Petrobras, mais Dilma se recupera nas pesquisas

Dilma sobe nas pesquisas, a bolsa despenca, e lá vêm os gigolôs da bondade denunciar a trama capitalista contra o governo do povo. Mas o que dizer então da bolsa eleitoral? Quanto mais apodrece o escândalo da Petrobras, mais Dilma se recupera nas pesquisas. Será que o eleitor está querendo virar sócio do petrolão?

Algumas frases da Dilma que ninguém conseguiu entender

Que alguém entre esse povinho vagabundo que vota no PT decodifique pelo menos uma. Afinal, imbecis falam a mesma língua.
  • Os bodes, eu não lembro qual é o nome, mas teve um prefeito… teve o prefeito de Tejuçuoca e me disse assim: ‘eu sou o prefeito da região produtora da terra do bode’. Então, é para que o bode sobreviva que nós vamos ter de fazer também um Plano Safra que atenda os bodes que são importantíssimos e fazem parte de toda tradição produtiva de muitas das regiões dos pequenos municípios aqui do estado.
  • Um grande varejista uma vez disse o seguinte, disse uma coisa muito simples e de fácil entendimento, que é muito difícil para o conjunto da população ou para muitas camadas da população, comprar à vista, mas que quando se compra a prazo, tudo fica mais viável.
  • Tem uma infraestrutura muito importante para o Brasil, que é também a infraestrutura relacionada ao fato de que nosso país precisa ter um padrão de banda larga compatível com a nossa, e uma infraestrutura de banda larga, tanto backbone como backroll, compatível com a necessidade, que nós teremos para entrarmos na economia do conhecimento, de termos uma infraestrutura, porque no que se refere a outra condição, que é a educação, eu acho importantíssima a decisão do Congresso Nacional do Brasil em relação aos royalties.
  • Queria, ao cumprimentar a Nádia Campeão, vice-prefeita do estado, fazer uma homenagem, uma homenagem, assim, pelo Dia, pela passagem do Dia Internacional e dessa semana, que a gente sempre considera a semana do Dia Internacional das Mulheres, cumprimentar a Nádia Campeão, a Lu Alckmin e a Ana Estela, a Eleonora, e junto com elas saudar todas as meninas e as professoras aqui presentes. Vocês vão ser vacinadas, não é? Vocês vão ser… todas vocês vão ser vacinadas. Então eu aproveito e vou saudar aqui o médico que geralmente me vacina, que é o secretário de saúde do estado de São Paulo, David Uip. Eu também sou vacinada.
  • Se hoje é o Dia das Crianças, ontem eu disse que criança… o dia da criança é dia da mãe, do pai e das professoras, mas também é o dia dos animais. Sempre que você olha uma criança, há sempre uma figura oculta, que é um cachorro atrás, o que é algo muito importante.
  • Aqui no estado do Ceará. Não, no estado do Pará. Desculpa, gente. É que fui pro Ceará, tá? Ontem eu tava no Ceará. Aqui eu não falei uma coisa. Ah, não, falei sim, né?
  • Todos nós aqui sabemos que cada um de nós escolhe ─ a vida faz a gente escolher ─ alguma das datas em que a gente nunca vai esquecer dessa data.
  • Vamos dar prioridade a segregar a via de transporte. Segregar via de transportes significa o seguinte: ou você faz metrô, porque o metrô… porque o metrô, segregar é o seguinte, não pode ninguém cruzar rua, ninguém pode cruzar a rua, não pode ter sinal de trânsito, é essa a ideia do metrô. Ele vai por baixo, ou ele vai pela superfície, que é o VLT, que é um veículo leve sobre trilho. Ele vai por cima, ele para de estação em estação, não tem travessia e não tem sinal de transito, essa é a ideia do sistema de trilho.
  • Os homens não são virtuosos, ou seja, nós não podemos exigir da humanidade a virtude, porque ela não é virtuosa, mas alguns homens e algumas mulheres são, e por isso que as instituições têm que ser virtuosas. Se os homens e as mulheres são falhos, as instituições, nós temos que construí-las da melhor maneira possível, transformando… aliás isso é de um outro europeu, Montesquieu. É de um outro europeu muito importante, junto com Monet.
  • Eu estou muito feliz de estar aqui em Bauru. O prefeito me disse que eu sou, entre os presidentes, nos últimos tempos, uma das presidentes, ou presidentes, que esteve aqui em Bauru.os municípios aqui do estado.
  • Um grande varejista uma vez disse o seguinte, disse uma coisa muito simples e de fácil entendimento, que é muito difícil para o conjunto da população ou para muitas camadas da população, comprar à vista, mas que quando se compra a prazo, tudo fica mais viável.
  • Tem uma infraestrutura muito importante para o Brasil, que é também a infraestrutura relacionada ao fato de que nosso país precisa ter um padrão de banda larga compatível com a nossa, e uma infraestrutura de banda larga, tanto backbone como backroll, compatível com a necessidade, que nós teremos para entrarmos na economia do conhecimento, de termos uma infraestrutura, porque no que se refere a outra condição, que é a educação, eu acho importantíssima a decisão do Congresso Nacional do Brasil em relação aos royalties.
  • Queria, ao cumprimentar a Nádia Campeão, vice-prefeita do estado, fazer uma homenagem, uma homenagem, assim, pelo Dia, pela passagem do Dia Internacional e dessa semana, que a gente sempre considera a semana do Dia Internacional das Mulheres, cumprimentar a Nádia Campeão, a Lu Alckmin e a Ana Estela, a Eleonora, e junto com elas saudar todas as meninas e as professoras aqui presentes. Vocês vão ser vacinadas, não é? Vocês vão ser… todas vocês vão ser vacinadas. Então eu aproveito e vou saudar aqui o médico que geralmente me vacina, que é o secretário de saúde do estado de São Paulo, David Uip. Eu também sou vacinada.
  • ·    Se hoje é o Dia das Crianças, ontem eu disse que criança… o dia da criança é dia da mãe, do pai e das professoras, mas também é o dia dos animais. Sempre que você olha uma criança, há sempre uma figura oculta, que é um cachorro atrás, o que é algo muito importante.
  • Aqui no estado do Ceará. Não, no estado do Pará. Desculpa, gente. É que fui pro Ceará, tá? Ontem eu tava no Ceará. Aqui eu não falei uma coisa. Ah, não, falei sim, né?        
  • Todos nós aqui sabemos que cada um de nós escolhe ─ a vida faz a gente escolher ─ alguma das datas em que a gente nunca vai esquecer dessa data.
  • Vamos dar prioridade a segregar a via de transporte. Segregar via de transportes significa o seguinte: ou você faz metrô, porque o metrô… porque o metrô, segregar é o seguinte, não pode ninguém cruzar rua, ninguém pode cruzar a rua, não pode ter sinal de trânsito, é essa a ideia do metrô. Ele vai por baixo, ou ele vai pela superfície, que é o VLT, que é um veículo leve sobre trilho. Ele vai por cima, ele para de estação em estação, não tem travessia e não tem sinal de transito, essa é a ideia do sistema de trilho.
  • Os homens não são virtuosos, ou seja, nós não podemos exigir da humanidade a virtude, porque ela não é virtuosa, mas alguns homens e algumas mulheres são, e por isso que as instituições têm que ser virtuosas. Se os homens e as mulheres são falhos, as instituições, nós temos que construí-las da melhor maneira possível, transformando… aliás isso é de um outro europeu, Montesquieu. É de um outro europeu muito importante, junto com Monet.
  • Eu estou muito feliz de estar aqui em Bauru. O prefeito me disse que eu sou, entre os presidentes, nos últimos tempos, uma das presidentes, ou presidentes, que esteve aqui em Bauru.

Cachorros já sabem que Aécio é o melhor, a maioria dos humanos não. Cada vez mais eu gosto dos animais...

video

sábado, 27 de setembro de 2014

Laboratório de sobrinho do Fidel lança perfumes ‘Ernesto’ e ‘Hugo’

Dois perfumes inspirados em Che Guevara e Hugo Chávez foram apresentados pelo laboratório farmacêutico estatal Labiofam, em Cuba. As respectivas famílias já deram autorização para o uso de seus nomes por parte do Labiofam, que é comandado por José Ramón Fraga Castro, sobrinho de Fidel e Raúl Castro.

Diz a propaganda que ‘Ernesto’ é mais amadeirado e doce, com um toque refrescante no final, já ‘Hugo’ tem uma fragrância mais suave, com reminiscências de frutas tropicais, como manga e mamão. Mas, como toda propaganda comunista é mentirosa suponho que essas porcarias tenham mesmo é o cheiro dos seus respectivos homenageados: ‘Hugo’ deve feder a merda, que é o que ele tinha na cabeça; ‘Ernesto’ deve ser pior, porque além da merda na cabeça Che tinha um fedor natural, a inhaca de porco, tanto que era apelidado de “choncho”(porco) desde pequeno, por detestar tomar banho.

Sinceros votos


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Se vocês querem uma crente petralha na presidência, votem em Marina. Hipocrisia é pouco!

Apesar de a candidata à Presidência Marina Silva (PSB) ter dito, em seu discurso para evangélicos, que não pretende instrumentalizar sua fé nem misturar púlpitos e palanques, o evento desta sexta-feira, 26, acabou servindo como palanque para que lideranças religiosas manifestassem apoio à ex-senadora.

“Não temos pretensão de ter candidato evangélico, mas Marina Silva é evangélica, então eu, com muita alegria, representando esses 2 milhões de membros que nós temos, estou aqui para reafirmar que a Igreja Fonte da Vida é Marina Silva”, disse o apóstolo César Augusto, da Igreja Fonte da Vida, que subiu ao palco antes de Marina. “Nós temos um projeto que vem de Deus e eu creio que está aqui. Além da oração, precisamos ter unidade e muito trabalho”, disse Augusto. “Esse projeto, Marina Silva, não vem dos homens, vem de Deus. Ele não nasceu do coração humano, ele nasceu do coração divino”, completou.

Valnice Milhomens, da Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo, pessoalmente próxima de Marina e que organizou o evento, disse que as lideranças não estavam ali para fazer críticas ou demandas, mas para prestar apoio e solidariedade à candidata.

“Nos mobilizamos não apenas para dar apoio e suporte a uma candidatura que nos representa, que carrega consigo muito do ideário cristão, mas também nos aproximamos para atestar nosso compromisso em defesa àquilo que é maior do que qualquer projeto político, a saber, o Evangelho do nosso senhor Jesus Cristo e a sua Igreja”, disse Ed René Kivitz, da Igreja Batista da Água Branca. Kivitz defendeu a identidade evangélica, para ele hoje quase um “xingamento”. 

“Não aceitamos a ideia de que ser evangélico é ser ignorante, moralista, intransigente, homofóbico, sectário e intolerante.” Ele disse que Marina não é discípula de Maquiavel, para quem os fins justificam os meios, mas que vota nela por suas propostas. “Votamos em Marina não porque é nossa irmã de fé, mas porque a julgamos preparada para o cargo que postula. Votamos em Marina não porque irmão vota em irmão, não estamos elegendo uma autoridade eclesiástica, estamos elegendo a presidente da República”, concluiu.

Renê Terra Nova, do Ministério Internacional da Renovação (MIR) de Manaus, que discursou após Marina seguiu a mesma linha. Ele disse que Marina é a resposta da “nova geração para assumir o reino”. “Todos que estão aqui estão convictos de que precisamos agir com a nossa fé de maneira muito inteligente e precisamos nos expor, porque quem não se expõe não conquista”, disse Terra Nova. E também apontou que o voto não é para uma pastora: “Nós não estamos elegendo uma pastora para o púlpito, mas uma presidente para o Planalto, de uma forma democrática, de uma forma inteligente”. (Estadão)

Camila Maluf, sobrinha do ex-governador Paulo Maluf, está presa – desde o dia 23 – no 5º DP de São Paulo.

Acusação? Atender pacientes com CRMs emprestados por outros três médicos. (Estadão)

É mole? Que famíliazinha de safardanas...

Seus problemas acabaram: Chegou Viadil!

É sério, o remédio existe e é antiespasmódico, pode procurar no Google. Portanto, doeu o furico? Viadil nele!

Sem saber para onde ir...





Políticos não vão sossegar enquanto não conseguirem emburrecer a população inteira. Canalhas!

Eu já tinha lido sobre a notícia que o Senado estaria estudando uma reforma para simplificar a ortografia de modo a “facilitar a alfabetização”, mas não dei muita bola, achando que a coisa não iria adiante, mas ao ler hoje no editorial de O Globo que a Casa já criou um grupo de trabalho com o propósito de estudar mudanças ortográficas, vi, mais uma vez, que no Brasil do PT a estupidez não tem limites.

Se a tal reforma ortográfica recente já foi uma idiotice que de nada serviu a não ser para confundir a nossa cabeça imagine esta - de se escrever como se fala - que estão propondo. Leiam o editorial.

Populismo pauta discussão sobre ortografia
Senado dá abrigo a grupo que propõe introduzir mudanças com o objetivo de opor à norma culta o princípio inaceitável de ‘escrever como se fala’

A língua exerce importante papel na integração de um país. Diversidade de dialetos — ou seja, a falta de um idioma unificado —, mesmo em nações territorialmente pequenas, costuma ser um estímulo a conflitos e contribuir para alimentar movimentos de secessão. O Brasil, de dimensões continentais, e mesmo com realidades culturais que variam de acordo com cada região, teve o mérito, ao longo de sua História, de preservar a língua, sem descuidar da grafia. Sotaques à parte, o que é compreensível, o idioma que se fala, e escreve, no extremo Norte é o mesmo das populações do Sul.

Sintomaticamente, nestes mais de 500 anos o país não sofreu significativas ameaças de fragmentação territorial, graças também aos portugueses. A preservação de uma língua unificada de Norte a Sul teve papel fundamental nesse processo. Defender o idioma contra a degradação é um compromisso que precisa ser abraçado pela sociedade, no dia a dia da linguagem falada, nas escolas, em todos os campos de atividades educacionais e culturais. Contra esse pressuposto, no entanto, arma-se um movimento, deletério por princípio, que visa a promover uma reforma (mais uma) alegadamente para simplificar a ortografia e, em decorrência, facilitar a alfabetização. Entre outras propostas, pretende-se erradicar da escrita letras que não se pronunciam (como o “h” em “hora”) e a duplicidade de grafia para o mesmo som.

Enquanto esteve circunscrita a debates internos, a ideia não passou de mera curiosidade. Mas tornou-se preocupante ao alcançar o Congresso, onde encontrou acolhida. Por sua Comissão de Educação, Cultura e Esporte, o Senado criou um grupo de trabalho com o propósito de estudar as mudanças ortográficas. Tanto mais grave é que, em ato que pode contribuir para mais confusão, a presidente Dilma assinou decreto ampliando até 2016 o prazo para a adoção definitiva do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, assinado pelos países lusófonos.

Escrever como se fala, em última instância o propósito desse tipo de iniciativa, que não esconde seu viés populista, é um aviltamento da língua. De um lado, dá abrigo a sofismas como a adoção, pelo MEC, de um livro didático com erros de Português, em nome de um pretenso “idioma popular”, como ocorreu em 2011; de outro, a deterioração da norma culta mal disfarça uma discriminação contra aqueles a quem supostamente se pretende beneficiar: o pressuposto é de que tais pessoas não teriam condições de se educar para ascender a novo patamar cultural.

Menos mal que contra essa estapafúrdia ideia há vozes representativas. O filólogo e acadêmico Evanildo Bechara a bombardeou em artigo no “Estadão”. A escritora e também acadêmica Ana Maria Machado, no GLOBO, observou: “O remédio (contra dificuldades da língua e na alfabetização) é mais educação”. O Senado tem de se dar conta que, ao avalizar a ideia, dá abrigo ao que pode soar como brincadeira. De mau gosto.

Garotada gaúcha detona Luciana Genro

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Gentinha é dose! Dilma, além de declarar apoio a assassinos, usa ONU como palanque eleitoreiro

Se alguém perguntar por minha nacionalidade, mesmo aqui no meu país, eu vou dizer que sou nepalês, ou coisa que o valha. Que vergonha que essa turma do PT está fazendo o Brasil passar lá fora!

Por que será que essa cafajeste não vai negociar com seus amiguinhos do Estado Islâmico para ver se ganha o Nobel da Paz? Claro que há risco, que é o de me dar a alegria de vê-la degolada...

Pesquisas eleitorais: Dá para ter alguma noção?

Carlos Newton, da Tribuna na Internet

Nova pesquisa Ibope diz que a candidata Dilma Rousseff teria ampliado sua vantagem no primeiro turno, mas segue empatada com Marina Silva no segundo turno, ambas com 41%.

A candidata do PT estaria com 38%, Marina teria 29% e Aécio Neves estaria com 19%. Mais o maior potencial de fixação de votos (eleitores que não pretendem mudar de candidato, em nenhuma hipótese) continua a ser de Marina, embora tenha caído de 65% para 61%, enquanto Dilma subiu de 52% para 54% e Aécio desceu de 55% para 53%.

Marina continua também com baixa rejeição, apenas 17%, enquanto Aécio teria 19% e Dilma 31%.

OUTRA PESQUISA
A Confederação Nacional do Transporte (CNT) também divulgou nesta terça-feira mais uma pesquisa MDA, em que Dilma Rousseff teve uma pequena queda em relação ao levantamento anterior, passando de 38,1% para 36% das intenções de voto. Marina Silva, do PSB, teve uma queda maior e perdeu 6 pontos percentuais, passando de 33,5% para 27,4%.  Entre os líderes, Aécio Neves apresentou melhora. O candidato do PSDB saiu de 14,7% para 17,6% na pesquisa desta terça-feira.

O cenário se inverte em relação aos últimos levantamentos do CNT/MDA. De agosto para o começo de setembro, Dilma e Marina Silva tinham apresentado crescimento e Aécio tinha caído. Agora apenas o tucano teve um desempenho melhor nos números.

No segundo turno, Dilma e Maria seguem tecnicamente empatadas: 42% e 41%.

MAIS UMA PESQUISA
Também o Vox Populi divulgou pesquisa hoje e, como sempre, seus números são muito favoráveis à candidata do PT. No primeiro turno, Dilma teria 40%, Marina 22% e Aécio 17%. Ou seja, estaria arriscado Dilma até levar no primeiro turno, dependendo de brancos e nulos e da margem de erro.

No segundo turno, o Vox Populi liberou geral e dá Dilma Rousseff eleita com 46% a 39%. Num possível confronto com Aécio, mesmo placar: 46% a 39%.


Tirem suas conclusões.

Até que enfim Cameron toma vergonha! Agora só falta prender o resto dos muçulmanos da Inglaterra

Anjem Choudary
A polícia britânica deteve nove homens como parte de uma operação contra um grupo islâmico nesta quinta-feira, enquanto o primeiro-ministro David Cameron se prepara para aprovar no Parlamento a participação do Reino Unidos nos ataques contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria. Os agentes informaram que as prisões não tinham relação com qualquer ameaça imediata, mas que os homens eram suspeitos de incentivar o terrorismo e de pertencer e dar apoio a uma organização proibida. Entre os detidos está o clérigo muçulmano radical de mais alto nível do país, Anjem Choudary.

“Estas detenções e buscas são parte de uma investigação em curso sobre o terrorismo” disse a polícia em um comunicado.

Os homens presos têm idades entre 22 e 51 anos e estão sob custódia nas delegacias de polícia no centro de Londres. A polícia também realizou fiscalizações em 19 estabelecimentos londrinos, mas se recusou a dar mais informações.

O clérigo muçulmano detido é um ex-chefe da organização al-Muhajiroun, agora proibida no Reino Unido. Pouco antes da prisão, Choudary teria postado na sua conta do Twitter uma série de mensagens criticando os novos ataques aéreos contra o Estado Islâmico (EI), grupo terrorista que agora controla parte do Iraque e da Síria.

“Os Estados Unidos / Reino Unido nunca vão derrotar o Estado Islâmico por bombas a partir do ar, em vez disso eles vão mais uma vez assassinar homens, mulheres e crianças inocentes”, escreveu ele no microblog.

Choudary ganhou notoriedade depois de realizar eventos para comemorar os ataques de 11 de setembro de 2001 contra os Estados Unidos. Na ocasião, ele teria distribuído folhetos que se referem aos terroristas como heróis. Recentemente, ele disse que não tinha nenhuma simpatia por Alan Henning, o refém britânico detido pelos extremistas na Síria que apareceu em um vídeo na semana passada.

Ele foi citado dizendo: “Eu não sei a real história, eu só ouvi falar pelo governo e pela mídia britânica. Precisamos ouvir diretamente do Estado Islâmico do porquê ele está sendo mantido. A decisão está nas mãos do califado”.

No mês passado, o Reino Unido elevou o nível de ameaça internacional para “grave”, a segunda mais alta classificação. Ou seja, um ataque é considerado altamente provável, e o primeiro-ministro David Cameron afirmou que o EI representa um alto risco de segurança para os britânicos.

Cameron convocará seu gabinete nesta quinta-feira com intuito de se preparar para um debate no Parlamento, no qual o premier pretende aprovar a participação britânica na operação militar contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria. O Partido Trabalhista e o Liberal Democrata apoiam a entrada do Reino Unido na coalizão liderada pelos Estados Unidos.

Enquanto a um bandido como Lula se propõem acordos para depor, aos demais só resta o camburão

A Polícia Federal tenta há sete meses um acordo para ouvir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como testemunha no inquérito que investiga supostos repasses ilegais da Portugal Telecom para o PT. A investigação foi aberta a pedido do Ministério Público Federal com base em denúncia do operador do mensalão, Marcos Valério Fernandes de Souza, que, em depoimento prestado à Procuradoria-Geral da República em 2012, conforme revelou o Estado na época, acusou Lula de intermediar pagamento de R$ 7 milhões da telefônica ao partido. O objetivo seria pagar dívidas de campanha.

Fontes ouvidas pela reportagem informaram que o advogado do ex-presidente Lula, Marcio Thomaz Bastos, afirmou à cúpula da PF que o petista estará em Brasília amanhã e tentará marcar uma data para prestar esclarecimentos. Ele participará de um evento da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff. Na Polícia Federal, a alegação, contudo, é que os acertos para que o depoimento ocorra, sempre informais, não foram adiante.

A PF espera ouvir o ex-presidente para concluir o inquérito, cujo prazo inicial foi estendido algumas vezes.

A reportagem tentou ontem vários contatos com Thomaz Bastos, mas ele não respondeu aos recados deixados no celular e no seu escritório. A assessoria de imprensa do ex-presidente Lula informou que o petista “não vai se pronunciar sobre o assunto”. A Polícia Federal informou que não se pronunciaria a respeito. O inquérito foi instaurado em abril de 2013.

Peraí, tem alguma coisa muito errada nessa pantomima: quando fui chamado a depor como testemunha do assassinato do meu pai, exatos dez anos após o crime, eu não compareci por considerar esse atraso um escárnio da Justiça. Dias depois, um oficial de justiça bateu à minha porta para que eu assinasse uma nova convocação e, dessa vez, se eu não comparecesse, o camburão viria me buscar, detido. Aí eu tive que ir (eu deveria ter deixado vir o camburão, pelo ,menos economizava o táxi...). Como é que com esse mequetrefe sem vergonha a PF se dá ao trabalho de tentar acordos há sete meses sem que ele dê a mínima bola? Bota esse filho da puta num camburão e leva, pombas!


A fantástica tecnologia da merda hindu

Tá lá, hoje no Globo: “Evento em SP debate problema global do esgoto. Indianos mostram no Arq.Futuro solução para debelar falta de saneamento, fator que mata mais do que a violência”. Meio desconfiado, resolvi ler. Afinal, a Índia não é exatamente um lugar que se destaque pelo asseio, pela salubridade e pela preocupação com o tema. Na verdade, é um país imundo, cujos hábitos e crenças religiosas, aliados à superpopulação são o maior entrave à limpeza.

Agora, vejam só a “solução” destacada por Tiago Dantas, repórter do Globo, como sendo o grande achado que vai resolver o problema do cocô do Brasil:

Experiências internacionais apresentadas no fórum de urbanismo Arq.Futuro, encerrado ontem em São Paulo, provam que é possível que organizações civis e empresas privadas deem sua contribuição para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e consigam até lucrar com isso.

Uma solução aparentemente simples para o tratamento de esgoto veio de Bangalore, a terceira maior cidade da Índia. Assim como acontece em metrópoles como São Paulo, o governo local não consegue recolher o esgoto de metade da população estimada em cerca de 12 milhões de pessoas. A iniciativa privada criou um sistema chamado honeysucker (sugador de mel), uma rede de 300 caminhões que recolhe os dejetos humanos na cidade e os vende para a produção de fertilizantes.

As casas e prédios que não estão incluídos na rede tradicional de coleta de esgoto têm uma espécie de caixa de concreto no subterrâneo, que funciona como uma fossa e é tratada com produtos para evitar o mau cheiro. De duas a três vezes por ano, o caminhão passa no bairro e recolhe os dejetos com um cabo de sucção. Fazendeiros que compram o material o empregam como adubo. O sistema recolhe o esgoto de cerca de 6 milhões de pessoas e não tem nenhum apoio do governo local.

Não é uma maravilha, um primor em tecnologia? E ainda por cima têm a coragem de chamar o sistema de sugador de mel... Quiuspariu!

Sonhos de uma noite de primavera

Do Jornal de Tutty Vasques

Sonhos de uma noite de primavera

Logo em sua primeira noite como presidente da República – Dilma passou-lhe o cargo antes de embarcar na segunda-feira para Nova York –, o ministro Ricardo Lewandowski teve um pesadelo medonho: sonhou que sofria um golpe de estado! Imagina quem comandava a insurreição?

O ex-revisor do julgamento do mensalão vai levar ainda um bom tempo para se livrar do fantasma de Joaquim Barbosa, tantos foram os embates com o então relator da ação penal 470. A assombração, comenta-se no STF, é recíproca!

Parece que naquela mesma madrugada em que Lewandowski quase caiu da cama, Barbosa também foi aterrorizado no meio do sono pela visão infernal de seu ex-desafeto com a faixa presidencial que ele nunca vestiu!

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Merda!

É só um desabafo. Meu PC resolveu dar piti justo hoje, que eu estava cheio de horror pra dar, após ter recuperado meu humor. Ainda estou às voltas com um HD externo que se recusa a me obedecer, mas nada que me impeça de lembrar de mandar Dilma tomar aonde as galinhas tomam.

“O problema de planejamento urbano não tem a ver com o tamanho do país, mas com o tamanho da região que você vai transformar”


O que o senhor pretende mostrar a respeito do programa de casas populares de Cingapura?
Quando os britânicos saíram de Cingapura, tínhamos 1,9 milhões de habitantes. Desses, 1,3 milhões de pessoas viviam como invasores ou em favelas. Foram 25 anos, de 1960 a 1985, para colocar todas essas pessoas em casas populares. Em 1985 não tínhamos mais invasores.

Arquiteto e urbanista malaio Liu Thai Ker, que esteve à frente da Autoridade de Desenvolvimento Urbano de Cingapura por 20 anos e é um dos responsáveis pela transformação da cidade-país, ocorrida após o fim do período de colonização britânica, a partir dos anos 1960.

Íntegra da entrevista em O Globo, aqui. Vale a pena ler, para se ter noção do tamanho da abrangência da Arquitetura.

Justiça brasileira: a piada eterna

“TSE nega registro de candidato a Paulo Maluf”

Oba, que bom, a Justiça, afinal, venceu!

Venceu o cacete!... A dez dias das eleições, Maluf ainda tem direito a recurso no próprio TSE e, se não der certo, ainda tem o STF!


É ou não é uma piada? Pena que é de profundo mau gosto.

Piada do ano

Separados no nascimento
“Lamento enormemente isso (ataques aéreos na Síria contra o EI). O Brasil sempre vai acreditar que a melhor forma é o diálogo, o acordo e a intermediação da ONU. Eu não acho que nós podemos deixar de considerar uma questão. Nos últimos tempos, todos os últimos conflitos que se armaram tiveram uma consequência. Perda de vidas humanas dos dois lados, agressões sem sustentação aparentemente podem dar ganhos imediatos, mas depois causam prejuízos e turbulências. É o caso do Iraque, está lá provadinho. Na Líbia, a consequência no Sahel. A mesma coisa na Faixa de Gaza. Nós repudiamos sempre o morticínio e a agressão dos dois lados. E, além disso, não acreditamos que seja eficaz. O Brasil é contra todas as agressões. E inclusive acha que o Conselho de Segurança da ONU tem que ter maior representatividade, para impedir esta paralisia do Conselho diante do aumento dos conflitos em todas as regiões do mundo.”
Dilma Roscofe, a piadista do ano.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Como se não faltasse mais nada, Lewandowski é o nosso Presidente da República. Quiuspariu!

Como miséria pouca é bobagem, Ricardo Lewandowski, assumiu a Presidência da República ontem. Isso porque ele é o único da linha sucessória, prevista na Constituição Federal, que estará no país para cumprir a tarefa. Ontem à noite, Dilma Rousseff embarcou para Nova York onde vai fazer o discurso inaugural na abertura da Assembleia Geral da ONU, na quarta-feira, como é praxe dos Presidentes brasileiros. Na terça-feira, ela deve participar da Cúpula do Clima. O vice, Michel Temer, candidato à reeleição na chapa de Dilma, cumprirá agenda em Montevidéu, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, que é candidato ao governo do Rio Grande do Norte, também não poderá assumir, ou ficará inelegível, e Renan Calheiros, presidente do Senado, também não, pois poderia tornar inelegível seu filho, Renan Calheiros Filho, candidato ao governo de Alagoas.

A última das quatro vezes que isso ocorreu no Brasil foi em 2002, quando Marco Aurélio Mello substituiu Fernando Henrique por uma semana. Portanto, Lewandowski, como presidente do STF, é o último na linha sucessória, fica no comando até quarta-feira. Também, tanto faz. Pior não fica.

Aonde se esconde a honradez, envergonhada com os governantes?

“Para um brasileiro medianamente letrado, causa horror o julgamento que os estrangeiros fazem de nós. Os governantes dos países civilizados do Hemisfério Norte compreenderam que nossos governos são delirantes e inconsequentes, como piás que ainda sabem pouco sobre a vida.”

Segundo o Granma (o papel higiênico mais usado em Cuba), programa “Mais Médicos” recebe aprovação de 95% dos brasileiros

Deu no Granma, pasmem:

Segundo uma enquête divulgada pelo governo do Brasil, 95% das pessoas atendidas pelo programa Mais Médicos estão satisfeitas com este programa da saúde pública, onde 14.462 profissionais, em sua maioria cubanos, foram contratados para atender áreas remotas e periféricas.

O programa permite oferecer serviços de saúde a 50 milhões de pessoas em 3.785 municípios remotos ou isolados, em áreas periféricas das grandes cidades e em 34 distritos indígenas, segundo um balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, após um ano de sua posta em marcha.

Segundo a agência Efe, 84% disse estar satisfeito com a duração das consultas e 80% deu uma qualificação positiva ao acompanhamento que fazem os médicos do programa.

“Este estudo confirma que os beneficiários do Mais Médicos na periferia das grandes cidades, no interior do país, na selva amazônica e no nordeste (região mais pobre do Brasil) estão satisfeitos com os médicos”, afirmou na entrevista onde se apresentou o balanço, o Ministro da Saúde, Arthur Chioro.

As mentiras do PT agora são exportadas. Canalhas!

Brasil fez papel de bobo em Cuba: Putin vai explorar o Porto de Mariel

Deu em O Povo (Fortaleza)

Na nova guerra fria, o Brasil fez papel de bobo no Caribe, com o ‘aliado’ governo cubano. Bancou, via BNDES e inclusive com R$ 240 milhões a fundo perdido, a construção do Porto de Mariel, com a esperada reabertura comercial e fim do embargo americano ao país de Fidel.

Mas quem vai faturar bonito são Estados Unidos e Rússia. Depois de os EUA fazerem oferta pela operação da área, como publicamos, agora foi o presidente russo, Vladmir Putin, que avisou a Raúl Castro que pretende a área. Para isso, Putin está perdoando a dívida de US$ 35 bilhões dos cubanos. A revelação é do jornalista Marcelo Rech.


As negociações para o perdão da dívida duraram 20 anos. Putin ainda avisou aos Castro que vai reinvestir US$ 2,6 bilhões em Cuba – principalmente direcionados a Mariel.

Putin correu para Cuba um mês depois de os americanos fazerem a oferta de operação do porto. Recomeçou, assim, uma nova ‘guerra fria’ entre EUA e Rússia.

Enquanto isso, a presidente Dilma investe no discurso de que mais de 300 empresas brasileiras vão ser beneficiadas com o porto de Mariel, mas não há lista e ninguém sabe quais são.

Aliás, quanto será que rolou de suborno para os petralhas nessa parada?

Para finalizar com Cuba, um artigo sobre Porto Mariel, no Granma, dá uma noção de quanto dinheiro o Brasil jogou fora

"Cuba é uma prioridade para nosso governo e também Havana põe muita atenção no Brasil".
Hipólito Rocha, diretor-geral da Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil),.


Mariel: uma aposta de presente e futuro

A Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel (ZEDM), a obra de maior envergadura em muitas décadas em Cuba, nasceu graças ao respaldo financeiro do Brasil, que aglutinou decisão política, estratégia de integração e, também, visão de negócios.

Brasil financiou os bens e serviços da construção do terminal de contêineres e a remodelação do porto de Mariel, equipado com tecnologia de última geração para receber e operar cargas de navios de grande calado, como os chamados "Postpanamax", que começarão a chegar quando seja completada a ampliação do Canal de Panamá, em dezembro de 2015.

A instalação, a 45 quilômetros a oeste de Havana, está situada na rota dos principais fluxos de transporte marítimo do hemisfério, pelo que os especialistas coincidem em indicar que o porto tem características para ser o maior do Caribe quanto ao tamanho e volume de atividade.

O terminal é o coração da zona especial, de 465 quilômetros quadrados, que oferecerá uma infraestrutura de auto-estradas que ligarão o porto de Mariel com o restante do país, uma rede ferroviária, estruturas de comunicações e serviços variados.

Na zona especial, atualmente em construção, se realizarão atividades produtivas, comerciais, agropecuárias, portuárias, logísticas, de formação e capacitação, de lazer, turísticas, imobiliárias, e de desenvolvimento e inovação tecnológica, em instalações que incluem centros de distribuição de mercadorias e parques industriais.

Dividida em oito setores, para seu desenvolvimento por etapas, as primeiras serão destinadas às telecomunicações e a um parque de tecnologia moderna, no qual estarão montadas indústrias farmacêuticas e de biotecnologia, dos setores aos que se dará prioridade em Mariel, junto com o das energias renováveis e o agrícola e alimentar, entre outros.

O governo cubano estuda, atualmente, a aprovação de 23 projetos da Europa, Ásia e a América para estabelecer-se em Mariel, em setores químicos, de materiais da construção, logística e de arrendamento de equipamentos.

Inaugurada em 27 de janeiro, durante seus primeiros seis meses de operação, o terminal já recebeu 57 navios e uns 15 mil contêineres, uma quantidade mínima porque a capacidade de armazenamento é de 822 mil. Os navios Postpanamax poderão transportar até 12.600 contêineres, três vezes más que os navios que podem atravessar agora o canal interoceânico.

Outro economista, Pedro Monreal, calcula que o custo por contêiner cairá então, a metade.

O menor custo, analisou, melhoraria a competitividade das manufaturas brasileiras, por colocar um exemplo. Mariel, onde operará também uma zona franca, poderia converter-se em plataforma de produção e exportação para essas empresas, inclusive para abastecer seu próprio mercado.

O decreto Lei 313, que criou a ZEDM, é de 13 de setembro de 2013, mas a remodelação de Mariel tinha começado três anos antes, conduzida por una empresa mista formada, em fevereiro de 2010, pela companhia de Obras e Infraestrutura, subsidiária da construtora privada brasileira Odebrecht, e por Quality Cuba SA.

O terminal de contêineres é administrado pela Global Ports Management Limited, um dos maiores operadores portuários do mundo, que trabalha desde há tempo com a firma cubana Almacenes Universais S.A, proprietária, usuária e responsável por zelar pelo uso eficiente do enclave portuário.

Também a relação entre Cuba e o Brasil é de longa data. O ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (2003-2010) não oculta suas simpatias pela Revolução deste país caribenho, o qual visitou em inúmeras ocasiões, primeiro como dirigente sindical e político, depois como mandatário e agora como ex-governante.

Dois pacotes de acordos assinados em 2008 e 2010, entre Lula e o presidente cubano Raúl Castro, marcam seu interesse por reforçar os vínculos binacionais, um esforço continuado pela atual mandatária brasileira, Dilma Rousseff.

Anteriormente, tinha sido acordado o crédito para o Mariel. Roussef especificou, quando esteve presente na inauguração do terminal, que somou US$ 802 milhões para esta etapa, mais US$ 290 milhões para a segunda fase. O primeiro dos créditos foi destinado, inicialmente, à auto-estrada, mas o governo local determinou começar pelo porto.

O empréstimo foi outorgado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Brasil. Havana contribuiu com 15% do investimento necessário para as obras.

"Cuba é uma prioridade para nosso governo e também Havana põe muita atenção no Brasil", comentou o diretor-geral da Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Hipólito Rocha.

A Apex-Brasil foi criada para promover negócios em parceria com Cuba, o Caribe e a América Central.

A Odebrecht é a companhia mais importante ligada a Mariel, mas fontes diplomáticas disseram que no total umas 400 empresas brasileiras participam das obras. "Entre nossos países há afinidade, decisão política, vocação para integrar-se, mas também são importantes os negócios", comentou o brasileiro Rocha.

Acrescentou que Cuba cumpre rigorosamente seus compromissos financeiros com o Brasil e que a relação binacional "está muito consolidada, é sustentável e deixa benefícios também ao nosso país".

Se de sinais se trata, os presidentes da China, Xi Jinping, e da Rússia, Vladimir Putin, os deram quando realizaram duas visitas a Cuba, em julho, para ampliar os projetos de colaboração com Havana.

Os dois presidentes estiveram em Cuba, no âmbito de sua participação na Sexta Cúpula do grupo BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e a África do Sul), entre 14 e 16 de julho, que teve lugar no Brasil.

O reforço destes vínculos promete maior acesso aos mercados chinês e russo, atração para investimentos em áreas de interesse comum, como a indústria farmacêutica e energética, cooperação para a modernização em setores estratégicos, portos e telecomunicações, afirmam especialistas.