terça-feira, 30 de junho de 2015

A descoberta de Malafaia


Marco Feliciano pede senha de cartão doado por fiel: “Se não der não tem milagre de deus”

Fagundes investe R$ 100 mil do próprio bolso enquanto o Jô mais barato sai a R$ 1,4 milhão do nosso - Longa vida a Antônio Fagundes!

Enquanto a mais barata das quatro produções teatrais dirigidas por Jô Soares agraciadas com dinheiro público, Três Dias de Chuva, levou a bagatela de R$ 1.393.001,60, Antônio Fagundes estréia “Tribos” na quinta-feira Rio, quase dois anos após a peça ter entrado em cartaz em São Paulo, tendo percorrido 26 cidades e reunido mais de 190 mil espectadores, tendo investido R$ 100.000,00 do próprio bolso.

Longa vida a Antônio Fagundes!

Leiam um trecho da entrevista de Fagundes ao Globo:

Você produziu “Tribos” sem patrocínio direto e descartou a possibilidade de captar recursos via renúncia fiscal — mesmo tendo recebido aprovação para captar R$ 1,8 milhão pela Lei Rouanet. O que o fez dispensar patrocinadores e a Rouanet?
Faço 50 anos de teatro (em 2016) e nesse tempo tive uns três patrocínios. Aposto na relação entre o artista e o público. É uma atitude. Sinto que as leis, por vezes, nos impedem de chegar à plateia. Há duas censuras estabelecidas pela Rouanet. Primeiro, você precisa submeter o projeto ao MinC (Ministério da Cultura), que decide se ele pode ou não buscar apoio. Muitos projetos são recusados, então há uma censura. Depois o governo tira o corpo fora, se exime da responsabilidade de gerir o dinheiro público, e entrega aos gerentes de marketing das empresas a função de decidir onde aplicar os recursos. Eu tenho amigos gerentes de marketing, mas eles não entendem nada de teatro. O que eles querem é vender produtos. O que temos hoje é um sistema que privilegia os interesses das empresas. Você olha o cartaz e lê: “Empresa tal apresenta...”. Apresenta com um dinheiro que não é dela algo que ela não fez! Ao aceitarmos a direção dos gerentes de marketing, abandonamos a ideia de uma política cultural, e aceitamos ter nossos espetáculos transformados em brindes de multinacionais. E a tendência, então, é piorar a qualidade artística das peças e afastar o público dos teatros.

Mas como foi possível produzir o trabalho? Quanto você investiu do próprio bolso?
Uma das estratégias foi a redução drástica dos custos de produção, porque alguns preços foram à estratosfera impulsionados pelos aportes via lei. Tudo subiu. Dos custos de equipe ao aluguel dos teatros. Então, realizamos uma produção mais barata. Investi R$ 100 mil, e criamos uma cooperativa entre os envolvidos. Somos 24 pessoas e recebemos da bilheteria. Ninguém ficou rico, claro. Mas há dois anos a peça sobrevive de bilheteria.

A produção conseguiu se pagar em quanto tempo?
No primeiro mês de temporada.

E desde então qual foi o valor médio do bilhete?
R$ 80. Mas 95% (do público) pagam meia-entrada. Então, ficamos com a metade do que seria a nossa bilheteria. É a farra da meia-entrada. Além disso, os aluguéis dos teatros aumentaram, e a estrutura de muitas salas do país só piorou. Existem lugares que são verdadeiros buracos vazios, que você aluga a preços exorbitantes mesmo sem equipamentos. Aí, você precisa alugar equipamentos. E o preço deles aumentou, claro.

Como foi possível superar isso e ter retorno de bilheteria?
Fizemos um mapeamento de praças e teatros aos quais poderíamos ir. Escolhemos teatros grandes e corremos o risco, mas os lotamos. E em lugares com salas de 500 lugares, fizemos até três sessões por dia.

Um gordo que já nos custou R$ 7.529.801,60 até agora

Só para constar e para que o assunto não seja esquecido, aí vão os valores das verbas liberadas pelo Salic (Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura) do Ministério da Cultura para as produções de Jô Soares.

Antes que argumentem que os recursos não são públicos, é necessário que se esclareça que apenas as empresas são privadas. Os recursos são públicos, sim, provenientes dos impostos dos quais o Estado abre mão para fins “culturais”.

1) Três Dias de Chuva. Valor aprovado: R$ 1.393.001,60. Direção: Jô Soares.
2) Histeria. Valor aprovado: R$ 2.260.400,00. Direção: Jô Soares.
3) Os Reis do Riso. Valor aprovado: R$ 1.919.400,00. Direção: Jô Soares.
4) Troilo e Cressida. Valor aprovado: R$ 1.957.000,00. Direção: Jô Soares.

O mundo exige uma renovação conservadora

Essa é Jandira Feghali, 58 anos, deputada e líder do Partido Comunista do Brasil na Câmara.

Essa é a dinamarquesa Nikita Klaestrup, 20 anos, estudante e presidente da organização juvenil do Partido Conservador Dinamarquês em seu Instagram.

A Justiça pode não falhar, mas tarda

A polícia de São Paulo fez 27 fotos nuas e seminuas das três presas acusadas de matar, esquartejar e espalhar as partes do corpo de um motorista de ônibus em Higienópolis e na Sé após a prisão, há um ano, e durante os interrogatórios.

Para a Justiça as fotos poderiam ofender a dignidade das rés. Entidades de direitos humanos entendem que houve abuso de poder. Como o processo não está sob segredo, qualquer pessoa pode acessá-lo.

Acontece que Marlene, uma das acusadas, confessou o crime. Disse que matou Alvaro, seu cliente e amante em março de 2014, porque ele a agredia e ameaçava matá-la. Ela alegou que se defendeu das agressões, torturas sexuais e tentativas de assassinato que vinha sofrendo durante quatro anos de programas e relacionamento com o motorista. Marcia e Francisca, as outras duas rés, ajudaram no esquartejamento e desova do presunto fatiado.

Eu pergunto: que dignidade podem ter três criaturas que cometem esse tipo de barbaridade para ser ofendida?

É óbvio que o acesso das nove fotografias a qualquer pessoa - além dos envolvidos diretamente no caso (juízes, promotores, policiais e advogados das partes) - em função do processo não estar sob segredo de Justiça não é o procedimento adequado, mas que tal a Justiça não se ater a firulas que em nada contribuem para a finalização do caso - crime confesso - que se arrasta há mais de um ano, já que nem como atenuante servem?

Uêba! Eu também quero ser comunista!


O filho caçula do ex-líder cubano Fidel Castro se envolveu em situação polêmica num resort de Bodrum, na Turquia. De acordo com meios da imprensa local, Antonio Castro Soto del Valle alugou cinco suites de diárias de US$ 1 mil para 12 acompanhantes, após chegar em um iate alugado na grega Mykonos. Pouco depois, um guarda-costas dele flagrou repórteres e fotógrafos e partiu para cima deles.

De acordo com a revista “Gala”, o repórter Yasar Anter, da agência Dogan, foi atacado por um segurança cubano após filmar o filho, e a delegação de Antonio fugiu do local em um carro. Um turco, que seria guia ou guarda-costas, acabou interrogado pela polícia.

Nesta segunda-feira, a “Gala” publicou novas imagens e relatos do episódio. A revista ironizou a ausência de explicações para a procedência dos fundos utilizados para pagar a visita de luxo do filho de Fidel.

Errata colossal, desculpas idem.

Não sei quantas vezes eu usei o verbo “assistir” aqui no Toma Mais Uma e, provavelmente, errei na concordância em todas. Só que ontem, me bateu uma dúvida e eu resolvi dar uma olhada no pai dos burros. Vejam as definições do Houaiss:

Transitivo indireto
1          estar presente (a determinado fato, ocorrência etc.); presenciar
Ex.: a. ao acidente
2          ver e ouvir (um espetáculo, concerto etc.)
Exs.: a. ao show
 a. à missa
3          prestar auxílio ou assistência a; ajudar, socorrer

Transitivo direto e transitivo indireto
1          acompanhar (enfermo, moribundo etc.) para prestar-lhe socorro
Ex.: a. o (ou ao) doente

Pois é. Não sei por que, eu troquei as bolas até hoje, usando o verbo na forma direta, como em “assistam o vídeo”, quando o correto é a indireta, “assistam ao vídeo”.

Como é impossível corrigir todos os erros, ficam aqui minhas sinceras e colossais desculpas.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Quem ganhar vai perder, diz a Mulher Sapiens

Picasso no Rio

Filas para assistir à exposição de Pablo Picasso no Rio dão volta no quarteirão.

Mas eu jamais entraria numa fila para ver isto:

“Desde que a arte deixou de ser o alimento dos bons, o artista pode usar seu talento para todas inspirações e pirações de sua fantasia. O povo não encontra mais nesta arte nenhum tipo de consolo ou sublimação. Contudo, os mais vivos, os ricaços, os improdutivos e os charlatões, procuram nesta arte novidade, extravagância e usurpação.

Desde o cubismo, até antes mesmo, satisfaço estes críticos com infinitas piruetas que me ocorreram. E quanto mais malucas foram as minha idéias e quanto menos conseguiram interpretá-las, mais as admiravam.

Através destas brincadeiras e arabescos, tornei-me famoso em pouco tempo. E fama, representa para o artista muita venda, capital e riqueza.

Hoje, eu não sou apenas bastante famoso, como também muito rico. Contudo, quando estou sozinho, refletindo..., chego a conclusão de que não sou um artista (no verdadeiro sentido da palavra). Grandes artistas foram Giotto, Rembrandt.

Eu sou apenas um palhaço que compreendeu a burrice, a avareza e a arrogância dos meus conterrâneos, sabendo explorá-los de todas as maneiras”.


Madri - maio de 1952 - Pablo Picasso

Minha homenagem ao arco-íris no Facebook

(Sobre foto tirada do blog do Giulio Sanmartini)

domingo, 28 de junho de 2015

O ridículo dos neo-simpatizantes da “causa gay”

Veja: Foi um estrondo a sua declaração, em uma cerimônia na Universidade de Torino, de que a internet dá voz a uma multidão de imbecis. O que o senhor achou da dimensão que o assunto tomou?
Umberto Eco: As pessoas fizeram um grande estardalhaço por eu ter dito que multidões de imbecis têm agora como divulgar suas opiniões. Ora, veja bem, num mundo com mais de 7 bilhões de pessoas, você não concordaria que há muitos imbecis? Não estou falando ofensivamente quanto ao caráter das pessoas. O sujeito pode ser um excelente funcionário ou pai de família, mas ser um completo imbecil em diversos assuntos. Com a internet e as redes sociais, o imbecil passa a opinar a respeito de temas que não entende.

Estou começando a dar razão a Umberto Eco. Não faz sentido nenhum essa euforia quase generalizada - principalmente notada no Facebook - com a legalização do casamento gay... nos Estados Unidos! É muita gente beirando o ridículo a mesclar suas fotos pessoais com as cores do arco-íris. E reclamo com isenção, porque minha filha e minha nora também aderiram ao modismo.

Isso sem falar nos esquerdopatas, cujo modelito ideológico que saiu de uso por caquexia e inoperância deu lugar às “causas minoritárias”, como aborto, gays, negros, ecologia e por aí afora. Eles são os mais radiantes com a história, enquanto, paradoxalmente, continuam adorando Cuba e Venezuela, e não tomando Coca Cola (embora usem seus Macs com placas Intel para manifestar seu regozijo de homo-simpatizante hipócrita).

Aliás, um exemplo eloquente do paradoxo dessa gente é o Facebook de uma comunista conhecida minha. Diz ela:

“Não fico à vontade em campanha automática de Facebook pelos EUA. Além do mais, não curto as instituições casamento, família, suprema corte de jeito nenhum. Simbolicamente isso foi importante e achei muito divertido ver as piadas que fizeram por aí com os homofóbicos e religiosos e conservadores e TFP todos.”

Mas olhem só a sua “foto de perfil”, recém mudada:

Como eu é o cacete!
Por acaso o fato é relevante o suficiente para merecer tantas homenagens mundo afora? E o que isso diz respeito aos brasileiros? Por acaso interessa ao Brasil? Vai mudar o futuro do mundo? Vai acabar com a fome? Vai curar a AIDS ou o câncer? Vai acabar com o terrorismo islâmico?

Ora, vão lamber sabão!

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Mulher Sapiens agora diz que é vítima de preconceito sexual

“Eu acredito que tem um pouco de preconceito sexual ou preconceito de gênero. Eu sou descrita como uma mulher dura e forte, que coloca seu nariz em tudo que ela não deveria, e dizem que eu sou cercada por homens meigos. Você, alguma vez, já ouviu alguém dizer que um presidente homem coloca seu dedo em tudo? Eu nunca ouvi isso.”
Dilma Rousseff, em entrevista ao jornal norte-americano “The Washington Post”.

Vai caçar uma mandioca!

Agora virou moda fazer vaquinha para pagar multa de vagabundo

Vejam só o que me aparece no Facebook:

Comeram cocô? Achei gozado, muito merecido, mas Boechat é profissional de comunicação e sabe o que faz e o que fez. Que arque com as consequências dos seus atos.

Eu não bato palma pra maluco dançar. 

De mais a mais, pelas posições políticas de Boechat e pelo seu envolvimento com as maracutaias com Nelson Tanure que causaram sua demissão do Globo, ele me merece tanta consideração quanto Malafaia: nenhuma!

Ex-marido de Maria do Rosário é preso por suspeita de tráfico de drogas

O ex-marido da deputada federal gaúcha Maria do Rosário (PT) está entre quatro presos pela Polícia Civil ontem, em Viamão, em uma ação contra o tráfico de drogas. Segundo a 3ª Delegacia de Polícia do município, César Augusto Batista dos Santos armazenava pedras de crack e cocaína prontas para venda. As drogas foram encontradas em uma casa de dois pavimentos, no bairro Santo Onofre, em nome dele. O suspeito informou a polícia que foi casado com a parlamentar no início dos anos 80.



Uma moto que teria sido usada para entregas de drogas também foi apreendida no local. O flagrante foi resultado da investigação sobre a apreensão de um fuzil e outras operações conduzidas na região, há cerca de um mês. Outras prisões ocorreram nos últimos dias. A polícia verifica se os presos têm antecedentes criminais.

Aliás, só para lembrar, Maria do Rosário, então relatora da CPI da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em 2003, resolveu acompanhar uma blitz policial promovida pelo Serviço de Combate à Prostituição Infanto-Juvenil para sair bem foto e na TV, e seu primeiro e último flagrante se deu justamente com seu cunhado, que estava acompanhado de outro homem e de duas meninas, de 11 e 15 anos, dentro de um veículo nas imediações da Avenida Farrapos, em Porto Alegre.

O então marido da irmã de Rosário alegou que estava dando carona para as meninas, mas não colou.

Não que isso tudo a comprometa de alguma forma, mas será que esses dois fatos explicam, pelo menos em parte, o histerismo crônico dessa moça?

Berê, berê, berê...

David Amato, do Movimento Revolucionário, lembrou bem:

Se Jesus Cristo voltasse e fosse novamente crucificado; se os alienígenas do passado voltassem e pulverizassem a Terra (e o History Channel); se a Terceira Guerra Mundial estourasse hoje; se os Annunakis se revoltassem com o culto à mandioca perpetrada pela Dilma, NENHUM, absolutamente NENHUM desses fatos seriam noticiados à exaustão como a morte do cantor sertanejo.

Sem querer ofender a lembrança do falecido e a sua família, mas vocês já ouviram falar na expressão “cortina de fumaça”? Pois é.

Afinal das contas, eu sou desinformado ou... sei lá. Quem era esse cara que morreu, que eu nunca ouvi falar, mas que era o segundo do Brasil em presença na mídia? Fui perguntar a minha mulher quem era Cristiano Araújo e ela me respondeu: “é aquele que cantava berê, berê, berê.”

Então tá...

O ódio de Verissimo

“O ódio ao PT nasceu antes do PT. Está no DNA da classe dominante brasileira, que historicamente derruba, pelas armas se for preciso, toda ameaça ao seu domínio, seja qual for sua sigla.”
Verissimo, em sua coluna de ontem no Globo - “Ódio”.

Pois é, eu acabei me esquecendo de comentar a coluna do Verissimo ontem e Rodrigo Constantino acabou me tirando esse prazer ao fazê-lo. Mas eu apenas queria dizer uma coisinha antes que alguém vá ler o Rodrigo aqui.

O ódio, no sentido de aversão intensa motivada por medo ou injúria sofrida, é perfeitamente justificável, tanto que hoje 65% dos brasileiros odeiam o PT por causa das injúrias (aquilo que é injusto; tudo o que é contrário ao direito; danos) cometidas pelo partido e pelo medo da sua perpetuação. A não ser que a calhordice de Verissimo seja tanta a ponto dele querer nos convencer que esses 65% são todos da classe dominante, o ódio ao PT não é exclusivo da elite.

Mas em uma coisa Verissimo está certo, pelo menos em relação a mim, quando diz que “o ódio ao PT nasceu antes do PT”, já que eu convivia com muitos dos seus fundadores nos bancos das faculdades que cursei desde 1970, e até mesmo antes disso, no colégio, quando fui colega de classe de dois então futuros exilados políticos - só que destes dois eu livro a cara porque até onde os conheci eram boa gente, tanto Alfredo Sirkis quanto Gustavo Buarque Schiller, que, por ser sobrinho de Ana Benchimol Capriglione, amante do ex-governador paulista Adhemar de Barros, foi o informante do assalto ao cofre da tia, aquele em que Dilma providenciou o armamento, guardou o dinheiro e ajudou a distribuir o produto do roubo (será?).

Voltando às faculdades, eu sabia que não havia condição daqueles proto-petralhas tomarem o poder pela força e ficava tranquilo por isso, já que todos aqueles pretensiosos queriam implantar no Brasil uma geringonça bem pior do que a dos militares. Eram alunos e professores tietes de Fidel, Mao e Stalin com ideias de jerico. Eu os odiava por isso e por várias outras coisas, entre as quais querer impedir quem queria assistir às aulas de fazê-lo, inventando uma greve por semana, sendo que no Fundão (UFRJ) cheguei até às vias de fato, quando um grupelho desses patetas tentou impedir minha turma de fazer uma prova de Geologia e meus colegas reagiram. A essa época já era notável a vocação dessa gente para a transgressão e para a violência, coisa que eu atribuía, na maioria dos casos, à idade dos futuros meliantes.

Mal sabia eu que esse embrião da canalhice iria vingar e se transformar nesse rolo de bosta que é o PT- o maior representante da esquerda brasileira - e nos seus penduricalhos, como o PSOL. Eu, inocentemente, acreditava que, com o tempo, toda essa gente fosse evoluir e se transformar em cidadãos decentes. Doce ilusão. Deu no que deu, e hoje falta cadeia para tanto marginal.

“Não denunciamos nem 25%”, diz procurador da República sobre a Lava-Jato

O Globo

Procurador da República, Carlos Fernando Lima revela que, um ano depois, a Lava-Jato ainda tem fôlego para denunciar empresários e políticos.

A Operação Lava-Jato já está em sua 14ª fase. Quais os próximos passos?

Nós não denunciamos ainda nem 25% (dos investigados) do esquema envolvendo as diretorias básicas da Petrobras, de Serviços e Abastecimento. Ainda temos a parte das sondas, da área internacional do (Nestor) Cerveró e (Jorge Luiz) Zelada. Temos que fechar uma investigação na área de comunicações, que teve informações prestadas pela (ex-gerente) Venina Velosa. E temos a parte de investigação que resultou na prisão do (ex-deputado) André Vargas e do (publicitário) Ricardo Hoffmann, envolvendo a comunicação da Caixa e do Ministério da Saúde. E ainda a questão do cartel em Angra 3 e algo semelhante em Belo Monte.

Como viu o pedido de habeas corpus feito ontem em favor do ex-presidente Lula?

Achei muito divertido. A peça beira a ofensa pessoal ao juiz Sérgio Moro. Coisa absurda os termos da peça. Até porque não há uma investigação envolvendo a pessoa do ex-presidente. O que temos é a investigação de diversos prestadores de serviços para as empreiteiras. Nesse âmbito, surgiu a empresa Lils, que seria do ex-presidente Lula. Mas isso não é suficiente. Entre as diversas empresas prestadoras de serviço que estão sendo investigadas está a do Lula. Agora, o método de lavagem de dinheiro é a prestação de serviços. No caso da Lils, sabemos que o ex-presidente faz palestras efetivamente.

O senhor acha que o dinheiro que o ex-presidente e o Instituto Lula recebem de empreiteiras tem algo de ilegal?

Precisamos analisar isso com cuidado. Enquanto a prestação de serviços exige contrapartida comercial, para o instituto não há efetivamente uma contrapartida, é uma doação. Então vamos precisar analisar com cuidado esses valores e as motivações que foram dadas para os pagamentos dessas doações.

As investigações agora podem chegar a nomes de novos políticos?

A investigação de políticos com foro privilegiado não é nossa. É do STF. Se aparecer algum nome de político, vamos mandar para o STF. Eu acredito que sim (que surgirão novos nomes). Sempre que apuramos novo esquema criminoso, ele revela a participação de políticos com foro privilegiado.

Qual sua avaliação sobre o bilhete de Marcelo Odebrecht escrito na carceragem da PF falando em “destruir email sondas”?

A Polícia Federal fez bem de tirar uma cópia do documento. É praxe na PF. Não aconteceu somente com o bilhete do Marcelo. É praxe de todo o sistema penitenciário. Todas as cartas passam por controle dos agentes. Em segundo lugar, quando um policial vê uma frase como essa falando em destruir um e-mail, no sentido de destruir provas, ele tem obrigação de investigar. Se a defesa quer interpretar, dizendo que o destruir é no sentido jurídico, isso será avaliado em inquérito policial.

A defesa alega que destruir significa contestar.

Então vamos investigar se houve atentado à lei penal ou ao português. Mas que houve algo estranho houve. Não vou dizer que não tenha o sentido que a defesa quer dar, mas de qualquer maneira este primeiro momento é de investigar. Não podemos fingir que nada aconteceu. Também ninguém pegou o bilhete e levou ao dr. Moro pedindo a extensão da preventiva do Marcelo Odebrecht por causa do bilhete.

E quando Marcelo fala que o sobrepreço na compra de sondas é um termo comercial de mercado?

Tem que ver se há coerência no que ele está falando. Mas o e-mail demonstra que o Marcelo Odebrecht está dentro da cadeia de decisões. Temos aí não uma pessoa que se omite, um ditador de papel. Temos uma pessoa que participa ativamente do negócio. E se temos tantos pagamentos no exterior, e ele participa tão proximamente da empresa, sustentamos que ele sabe o que acontece dentro da empresa.

Quais são as provas do envolvimento da Odebrecht no cartel da Petrobras?

A questão do cartel não se tem dúvidas. Ela é a principal integrante do cartel. Não aceitar isso é tapar o sol com a peneira. A questão é que temos bastante documentos, informações de colaboradores, investigação no Cade. Denunciar executivos da Odebrecht por cartel é só uma questão de tempo. O que nós descobrimos de novo é que ela participa de uma segunda fraude, envolvendo Angra 3, mesmo depois de deflagrada a Lava-Jato.

Dalton Avancini, da Camargo Corrêa, apontou Fábio Gandolfo, da Odebrecht, e Flávio Barra, da Andrade Gutierrez, como diretores que pagaram propinas ao PMDB por obras em Angra 3. Eles serão investigados?

Esses novos diretores também serão investigados. Isso mostra que a Odebrecht age enquanto empresa e não é um esquema de algum diretor aloprado que tenha tido a ideia de ganhar um bônus extra no final do ano. Não é à toa que ela é investigada no Panamá, na Itália. Ela tem uma praxe de negócios que envolve essa situação de cartel e propinas.

O sr. crê que executivos da Odebrecht ou Andrade Gutierrez presos optem por delação premiada?

Não creio. Não tem movimentação das empresas nesse sentido. A Odebrecht nos procurou no primeiro semestre do ano passado para conversar conosco sobre isso, mas deixamos claro que qualquer acordo que envolva uma empresa exige que ela indique todos os culpados, mas aí não houve mais evolução nas conversas.

Jorge Béja: A real intenção do habeas corpus em favor de Lula

Assino embaixo.

Da Tribuna da Internet

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região indeferiu, liminarmente, o Habeas Corpus preventivo a favor do ex-presidente Lula. E por tê-lo indeferido, julgou prejudicado o posterior pedido dos advogados de Lula para que o HC não fosse considerado, uma vez que o ex-presidente não estava de acordo com sua impetração. Creio que o presidente do TRF da 4ª Região não deveria ter indeferido o processamento e seguimento do Habeas Corpus, a não ser depois que o beneficiário da impetração — Lula — peticionasse manifestando seu inconformismo com a medida tomada por terceiro.

O indeferimento, precoce e injustificável, invalida o instituto do HC, que pode ser impetrado por qualquer pessoa, em seu próprio benefício ou em benefício de terceiro, seja Habeas Corpus preventivo (para quem sofre ameaça de ser preso injustamente), seja o repressivo (para quem se encontra preso, sem causa justa). E nem precisa de advogado, como registrou nosso editor, jornalista Carlos Newton. Até numa folha de papel de embrulhar pão se pode impetrar HC.

Vou mais além: em 1972, quando o industrial João Mello da Costa, pai de Carlinhos, foi arbitrariamente preso pelo delegado de Caxias, Moacyr Bellot, impetrei Habeas Corpus verbal.. Não precisei de papel. Encontrei o então juiz da comarca, Dr. Marlan de Moraes Marinho e na calçada do forum de Caxias disse a ele que estava impetrando, verbalmente, ordem de HC em favor do pai de Carlinhos. A ordem foi concedida imediatamente. O próprio juiz foi comigo à delegacia, descemos a escada e o magistrado tirou o pai de Carlinhos do xadrez. Foi um caso excepcional, reconheço. O tradicional e conservador é a impetração em papel, por meio de petição.

Mas nesse caso de HC preventivo que terceiro impetrou em favor do ex-presidente Lula, penso que a intenção era outra, bem diversa das que tenho lido e ouvido dizer. Creio que foi estratégico. Se o HC tivesse seguimento, o presidente do TRF da 4ª Região, obrigatoriamente, enviaria ofício ao Juiz Dr. Sérgio Moro, indagando a respeito da ameaça de prisão de Lula (chama-se pedido de informações). E isso forçaria o juiz dizer se existe ou não existe alguma ameaça de Lula ser preso. Com isso, Lula e todos nós, ficaríamos sabendo da existência de motivo que ameaçasse a liberdade de Lula, conforme relatado no Habeas Corpus.

Ainda bem que, neste caso, o presidente do tribunal, mesmo desconstruindo este remédio heróico, pois não poderia indeferir de plano a ordem impetrada, a indeferiu. O sr. desembargador-federal e presidente do TRF do Paraná percebeu a manobra e impediu sua evolução.

P.S.: Para ler a íntegra do habeas corpus clique aqui.

Cumaié?...


Exame de próstata forçado

É mole? E o expulso foi o uruguaio Cavani...

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Ah, é, Malafaia?! Censura esse aqui no Toma Mais Uma que eu quero ver!

Os amigos Carlos e Argento me alertaram sobre a censura do vídeo de Malafaia sobre a tal da “semente do aluguel” que exibi ontem através de link com o YouTube. Só que como um homem prevenido vale por um milhão de Malafaias, eu já tinha a barbaridade gravada e exibo aqui.

Quero ver ele me censurar por exibir o que ele mesmo disse ao vivo em programa alugado na televisão aberta pago com o dinheiro dos dizimistas!

video

Atenção! Foi pedido Habeas Corpus preventivo para que o Lula não seja preso como o chefe do Petrolão

Pode até ser que se trate de "alguém preocupado com o ex-presidente", como afirmou a assessoria do Brahma, mas, pelo andar da carruagem, é melhor deixarmos as barbas de molho para ninguém se surpreender.

Folha

Um habeas corpus preventivo impetrado na Justiça Federal no Rio Grande do Sul, nesta quarta-feira (24), pede que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não seja preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, caso o juiz federal Sergio Moro tome uma decisão nesse sentido.

O pedido foi feito às 16h20 de quarta e refere-se a um possível pedido de prisão preventiva. O Instituto Lula disse que nega que o ex-presidente tenha entrado com o pedido. Segundo o instituto, qualquer cidadão poderia fazer esse pedido.

Já a assessoria de Lula encara a atitude como de "alguém preocupado com o ex-presidente" ou "como uma provocação".

"O Instituto Lula estranha que sua divulgação parta do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO)", afirma o instituto em nota à Folha. Caiado, um dos principais oposicionistas do Senado, divulgou em seu Twitter nesta quinta que Lula teria entrado com o pedido por receio de ser preso.

"O ex-presidente não é investigado na operação Lava-jato", conclui o instituto.

Entre os assuntos relacionados na solicitação —feito em uma ação que envolve o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró— constam "'lavagem' ou ocultação de bens, direitos ou valores oriundos de corrupção" e "prisão preventiva".

O autor da solicitação é Maurício Ramos Thomaz, de Campinas, que se apresenta como consultor. Thomaz já ingressou com outros pedidos de habeas corpus em casos de repercussão, um deles em favor de Cerveró.

Ele justifica o pedido preventivo em favor de Lula afirmando que uma possível prisão do ex-presidente já teria sido noticiada pela imprensa.

Lula tem dito a aliados que a prisão dos presidentes da Odebrecht e da Andrade Guiterrez é uma demonstração de que ele será o próximo alvo da operação que investiga um esquema de corrupção na Petrobras.

Nas conversas, ele se mostra preocupado pelo fato de não ter foro privilegiado, podendo ser chamado a depor a qualquer momento. Por isso, expressa insatisfação que o caso ainda esteja sob condução do juiz Sérgio Moro.

Apesar do argumento de que outros partidos podem ser afetados pelos desdobramentos da investigação, a tensão é maior entre petistas. Desde o fim de 2014, a informação, que circulava no meio empresarial e político, era de que Marcelo Odebrecht não "cairia sozinho" caso fosse preso.

A empresa sempre negou ameaças. Entre executivos e políticos, contudo, as supostas ameaças eram vistas como um recado ao PT dada a proximidade entre a Odebrecht e Lula -a empresa patrocinou viagens do ex-presidente ao exterior, para tentar fomentar negócios na África e América Latina.


Ontem teve audiência no Congresso para debater a “cura gay” com direito a depoimento de “curados”

Fala sério! Agora vou ter que tirar os “cabeças” da minha “lista das 14 coisas nunca vistas”:
  1. Ex-viado;
  2. Ex-corno;
  3. Filho de prostituta chamado Junior;
  4. Roberto Carlos de bermuda;
  5. Genro com retrato de sogra na carteira;
  6. Enterro de anão;
  7. Santo de óculos;
  8. Cabeça de bacalhau;
  9. Chester vivo;
  10. Entrevistado do Ibope;
  11. Papel higiênico em banheiro público.;
  12. Pentelho de freira;
  13. O Pai do Pai de Santo;
  14. Previsão da Mãe Dinah dar certo.

Só fazendo piada mesmo. Essa gente não tem mãos a medir quando se trata de fazer ridículo.

Feliciano, se não é, já foi e se nunca foi, foi por falta de incentivo...
O pior é que a audiência pública proposta pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP) ficou lotada para ouvir depoimentos dos “ex-gays”. Provavelmente os curiosos queriam apenas conferir o que julgavam não existir.

Pessoas que disseram ter deixado a homossexualidade relataram abusos na infância e dificuldade de conseguir ajuda de psicólogos. Audiência com cinco pessoas que se consideram ex-gays, deputados da bancada evangélica defenderam nesta quarta-feira a possibilidade de tratamento psicológicos para quem busca “reorientar” a sexualidade. Os convidados relataram abusos na infância e reclamaram da dificuldade de conseguir ajuda profissional para enfrentar os conflitos emocionais. Solicitada pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), a reunião foi aberta pela psicóloga Marisa Lobo, que já enfrentou um processo de cassação acusada de defender a “cura gay” e foi seguida pelos cinco ex-homossexuais, dos quais quatro pastores evangélicos. Em 2013, o deputado João Campos (PSDB-GO), líder da bancada evangélica, chegou a apresentar um projeto para sustar a resolução de 1999 do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que proíbe psicólogos de tratar a homossexualidade como doença. Apelidada de “cura gay”, a matéria foi arquivada a pedido do próprio parlamentar, depois da polêmica.

Feliciano evitou falar em cura, mas defendeu o tratamento das pessoas por psicólogos. “Não existe cura, porque não é doença. Essas pessoas só querem o direito de serem ouvidas, de serem tratadas por uma coisa que elas não querem ser”, disse. Para o vice-presidente do Conselho Federal de Psicologia, Rogério de Oliveira Silva, a reunião foi uma estratégia para reacender o debate da “cura gay”. “O que está colocado aqui é uma estratégia de um grupo de deputados para derrubar a resolução, que trata da forma como nós psicólogos entendemos como o exercício profissional deva ser colocado”, disse.

Todos os ouvidos na audiência disseram que não nasceram homossexuais e relataram terem sofrido abuso. Eles contaram que não eram felizes como gays e, em sua maioria, disseram ter recebido o apoio de igrejas para reorientar a sexualidade. Pastor e cantor evangélico, Robson Alves disse ter sido homossexual dos 13 aos 21 anos de idade, depois de ser estuprado por um homem na infância. “A pessoa que quer deixar de ser homossexual, ela pode deixar. Nunca fui gay, fui levado para a prática homossexual por esse trauma. A quem pedir ajuda?”, relatou o religioso, hoje casado e com quatro filhos.

Alves disse ter procurado a igreja porque, segundo ele, é difícil conseguir apoio com psicólogos. “A grande maioria dos consultórios psicológicos é uma fábrica de homossexuais, a pessoa não tem apoio. Dizem que você tem que sair do armário. Aquilo que é certo se torna errado. E hoje a sociedade LGBT vai contra as pessoas que querem deixar a prática homossexual. Eu tenho direito de deixar a pratica homossexual”, disse.

Também pastor, Arlei Lopes Batista disse que a confusão com a sexualidade começou já no útero. Sua mãe queria uma menina. “E os psicólogos sabem que a criança que está no ventre já sofre influências”, disse. Até os 3 anos, relatou, foi vestido como uma menina. Ele disse também ter sido abusado aos 7, o que durou três anos. “Nossa nação não permitem ajuda psicológica. Alguém me ajudou a tratar os gatilhos que me levaram à homossexualidade”, disse.

O pastor conferencista Joide Pinto Miranda mostrou um pôster da época em que era travesti. Ele disse ter sido ajudado por uma psicóloga em 1991 para tomar a decisão de retirar os 4,5 litros de silicone que tinha no corpo. “Posso provar que ninguém nasce homossexual, que é uma conduta aprendida e que ela pode ser desaprendida”, afirmou.

Requentado, mas sem respostas

Sem registros na agenda oficial, a “Mulher Sapiens” recebeu o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela e narcotraficante Diosdado Cabello no Pálacio da Alvorada, no último dia 12. Gatos escondidos com o rabo de fora, como o encontro foi estaque no site do Legislativo venezuelano, os planos da quadrilha do governo de “abafar o caso” foram por água abaixo. O tête-à-tête durou mais de uma hora e, ainda de acordo com o site da Assembleia Nacional da Venezuela, Dilma e Cabello recordaram questões bilaterais alcançadas “graças ao amor e ao compromisso do comandante Hugo Chávez”.

Até agora, duas semanas passadas, o Planalto não se manifestou sobre a ausência da reunião na agenda oficial.

Em Brasília, o traficante encontrou também, ainda em caráter sigiloso e reservado, com o vice-presidente, Michel Temer no Palácio do Jaburu - levado pelo empresário Joesley Mendonça Batista, presidente da JBS - e, na residência oficial da Câmara, com Cunha e Calheiros, acompanhados por três deputados e três senadores, em cuja ocasião, Cunha pediu a Cabello que recebesse a tal comissão de congressistas brasileiros - que acabou sendo escorraçada de lá - para “avaliar” a situação do governo Maduro. Cabello ficou de analisar e, pelo visto, sua análise não foi lá muito favorável.

Segundo a Assembleia Nacional da Venezuela, Cabello esteve no Brasil comandando uma “comitiva de alto nível enviada pelo presidente Nicolás Maduro”, que durante cinco dias visitou empresas que pertencem ao grupo J&F, dona do frigorífico JBS, e a Brainfarma, da farmacêutica Hypermarcas, além da visitinha ao comparsa Brahma, é claro.

Sei que o assunto é requentado, mas, diante dos fatos, algumas perguntas ficaram sem resposta. Por que o sigilo todo? Por que o Planalto não deu satisfação até agora? Como é que um sujeito que, apesar dos pesares, é a segunda autoridade máxima da Venezuela chega aqui, sem mais nem menos e sem aviso prévio? Por que é que um sujeito que chega sem mais nem menos e sem aviso prévio foi recebido pela presidente, pelo vice e pelos presidentes do Congresso? Por se tratar de uma autoridade, a segurança do cara era obrigação nossa, o que foi feito nesse sentido? Cabello passou pela alfândega? Qual teria sido o assunto entre o trafica e o bebum? Ou será que foi só visita de cortesia e agradecimento por “serviços prestados”? No agradecimento rolou uma graninha?

Fala sério! Esse País virou uma pocilga!

Последняя уборка Лула (O último expurgo de Lula)

É daí para a cova coletiva.

Segundo Claudio Humberto, Lula tem sido aconselhado por setores do próprio PT a promover um “expurgo”, de inspiração stalinista, de petistas acusados de corrupção. O expurgo seria por meio de desligamento “voluntário”, sempre “em nome do projeto”, ou com a expulsão dos que não aceitem a solução. O objetivo do expurgo seria tentar safar o próprio Lula no caso Lava Jato e viabilizar sua nova candidatura presidencial, em 2018.
  
Lula resistiu ao expurgo, mas suas recentes críticas ao PT e seus elogios ao “projeto” sinalizam que ele passou a considerar a ideia.
  
O expurgo no PT é inspirado no “grande expurgo” promovido por Joseph Stalin no Partido Comunista soviético quando assassinou dois terços do PC - 98 dos seus 139 companheiros -, entre 1934 e 1939, incluindo o dissidente Leon Trotsky.

Espera-se que o expurgo sob exame no PT não cogite utilizar os mesmos métodos de Stalin. Se bem que não vai fazer muita falta não...

Ex-deputado investigado no Lava-Jato diz à PF que perdeu a memória

Eu desdigo o que eu disse antes quanto a não mais ser surpreendido pelas calhordices dos nossos políticos. A cara-de-pau dessa gente assusta até defunto!

Veja

Citado pelo doleiro Alberto Youssef como um dos beneficiários do dinheiro desviado no esquema do petrolão, o ex-deputado federal Carlos Magno Ramos (PP-RO) afirmou em depoimento à Polícia Federal que perdeu parte da memória em decorrência de complicações de uma hepatite C. Youssef afirmou que o ex-deputado recebeu 150.000 reais para comprar vacinas destinadas a seu tratamento de saúde além de receber dinheiro mensalmente.

Ao jornal, Magno Ramos afirma que, apesar dos problemas de memória, tem certeza de que não conheceu Youssef ou foi beneficiado por dinheiro desviado da Petrobras. À Polícia Federal, o ex-deputado afirmou que as vacinas e remédios para seu tratamento foram bancados pela Câmara: ele alega que tomou empréstimos bancários no valor de 840.000 reais para pagar pelos medicamentos, tendo sido ressarcido pelo Congresso. O político afirmou que ainda deve 350.000 reais aos bancos.

Partido para-raios de escândalos de corrupção no país, o PP de Magno Ramos, nas palavras do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, montou uma "estrutura criminosa estável e perene" no esquema que assaltou os cofres da Petrobras. Os pepistas atuavam de forma organizada e recebiam mensalmente propina por intermédio do doleiro Alberto Youssef. Segundo as apurações da Operação Lava Jato, a bancada na Câmara levava entre 1,2 milhão de reais e 1,5 milhão de reais todos os meses, enquanto os líderes, responsáveis pela distribuição do dinheiro, embolsavam de 250.000 reais a 500.000 reais mensais.

Itália continua competindo firme pela hegemonia da piada pronta

A Justiça italiana suspendeu novamente a extradição para o Brasil de Henrique Pizzolato. O Conselho de Estado, última instância da Justiça administrativa da Itália, vai continuar analisando os recursos da defesa para que ele cumpra a pena na Itália. A decisão final deve sair no dia 22 de setembro.

A extradição havia sido autorizada a partir do dia 15 deste mês pelo Tribunal Administrativo Regional de Lazio, na Itália, mas foi adiada para que o conselho pudesse julgar o recurso.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, já havia dito, na ocasião da primeira suspensão do Conselho, que o governo brasileiro respeitará a decisão italiana, “seja ela qual for”.

Em abril de 2014 escrevi um post - “Itália quer competir com Brasil pelo primeiro lugar entre os países da piada pronta” - que é o terceiro mais lido do TMU, com 14 mil acessos. Nele eu ironizava a decisão de uma corte italiana que determinou que a pena na condenação por fraude fiscal de Silvio Berlusconi pelo caso Mediaset fosse paga com o trabalho voluntário de “entreter” os idosos de um asilo da Fundação Sagrada Família. E terminei:

“Berlusca entretendo idosos não vai dar boa coisa. Vai ter bunga-bunga com farta distribuição de Viagra e fraldão.”

Pois é. Mais de um ano depois a Itália continua firme na disputa pelo primeiro lugar entre os países da piada pronta com essa palhaçada do extradita-não-extradita Pizzolato. Pelo visto a justiça de lá é tão complicada quanto a de cá.

Quanto a Cardozo declarar que o governo brasileiro respeitará a decisão italiana, lembro que não foi bem assim no caso Battisti, em todo caso...

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Luciando Ayan, isso que o calhorda do Malafaia faz é honesto?

Magazine Luiza e Olimpíadas, tudo a ver...

“Uma pessoa de altíssima qualidade, mulher, empreendedora, batalhadora, sobretudo com grande capacidade e eficiência.”
Dilma “Mulher Sapiens” Rousseff sobre Luiza Trajano, dona da rede Magazine Luiza, a quem nomeou ontem para a presidência do Conselho Público Olímpico, por considerar que vender roupa cafona tem tudo a ver com Olimpíadas.

Diga-se de passagem, para não fugir à regra, Luiza é mais um tribufu a compor esse circo de horrores característico da parte feminina do governo da Mulher Sapiens.

Luciano Ayan e o lado hipócrita da direita


Por mais que critiquemos Malafaia por algumas ideias, continuamente conseguimos demonstrar instâncias torpes de relativismo moral no discurso de quem diz que “Malafaia e Boechat são farinha do mesmo saco”. Quer ver? Adversários de Malafaia dizem que ele “chantageia seus fiéis por dinheiro”. Não, não há chantagem, mas o recebimento de doações voluntárias. Por outro lado, Ricardo Boechat defende um socialismo violentíssimo, que sempre obtém seus dividendos na forma de coerção estatal, o qual jamais deixa de usar a violência. Comparar a tomada de poder por um sistema totalitário (defendida por Boechat) com a obtenção de doações sem o uso da violência (praticada por Malafaia) e, em conclusão, afirmar que são “a mesma coisa” demonstra incapacidade cognitiva de avaliação de questões morais e, como tal, devemos nos preocupar com julgamentos éticos feitos por essas pessoas.

A tomada de posição decididamente contra Boechat é uma escolha na esfera da guerra política, com foco em resultados. A escolha por “nenhum dos dois” é a escolha pelo seu próprio ego, em detrimento de quaisquer resultados. Infelizmente, mais uma vez, uma parcela minoritária, mas infelizmente não minúscula, está escolhendo o ego sobre qualquer forma de estratégia.

Depois que Reinaldo Azevedo andou fazendo afagos a Malafaia, o bispo virou uma espécie troféu para uma parte da direita - a hipócrita - exibir como prova da sua tolerância com os neopentecostais, neoevangélicos, neocrentes, enfim, seja qual o nome que se dê a essa gente, que já deixou de apenas pentelhar há muito tempo ao se transformar em uma ameaça não só à tolerância religiosa como também à estabilidade política do País.

E Luciano Ayan (dono do blog Ceticismo Político) faz parte dessa direita hipócrita. Defender Malafaia dizendo que ele “não faz chantagem”, mas apenas recebe “doações voluntárias” é cinismo demais para uma pessoa só. Será que Ayan vai querer enganar que realmente acredita que essas “doações” não são o resultado da violência moral aplicada por esses pastores e congêneres aos pobres de espírito e fracos de mente, chantageando-os, caso não colaborem financeiramente, com ameaças de demônios e fogos eternos, ou aliciando-os através de promessas incumpríveis de prosperidade? Será que Ayan vai querer mentir dizendo que a riqueza ostentada por Malafaia e seus semelhantes é fruto de trabalho honesto e não das extorsões cometidas por eles contra uma gente frágil, despreparada e desiludida?

Como eu disse em outro post, entre os dois eu não fico com nenhum e, segundo Ayam, escolhi meu próprio ego, sim, com a maior convicção de ser infinitamente superior a ambos em moral e caráter, coisa que já não posso repetir ao julgar Luciano que, ao dizer que “se a direita não percebe a diferença entre Malafaia e Boechat, é melhor desistir” evidencia que quem deve desistir é ele.

É por este e outros que essa parte da direita brasileira, que criou corpo à custa da falência do PT, não merece muita atenção, pois age tal e qual a estrebuchante esquerda, escondendo as verdades.

Dilma, a “mulher sapiens”, ataca de novo

A Mulher Sapiens, a bola de folhas de bananeira, que é o marco da evolução do homem, e os índios
“Nós temos a mandioca e estamos comungando a mandioca com o milho. Estou saudando a mandioca. Uma das maiores conquistas do Brasil.”

“Nenhuma civilização nasceu sem ter acesso a uma forma básica de alimentação, e aqui nós temos uma, como também os índios e indígenas americanos têm a deles.”

“Aqui tem uma bola que eu passei o tempo inteiro testando e que vai durar o tempo que for necessário. Ela vem de longe, da Nova Zelândia. Essa bola é um exemplo, extremamente leve. Eu testei, fiz embaixadinha. A importância da bola é justamente o símbolo da capacidade que nos distingue como ‘nós somos do gênero humano, da espécie sapiens’. Para mim essa bola é um símbolo da nossa evolução. Quando nós criamos uma bola, nós nós transformamos em homo sapiens, ou mulheres sapiens”.

Isso é Dilma em seu estado puro no discurso que fez ontem durante a cerimônia de lançamento dos Primeiros Jogos Mundiais dos Povos Indígenas.

E eu continuo na total ignorância a respeito dos motivos que levaram mais de 50 milhões de pessoas a votar nesse troço.

terça-feira, 23 de junho de 2015

A arte pictórica hoje é empulhação nojenta

Já que falei em TV, anteontem, ao mudar de canal, parei na Cultura, exatamente em um programa sobre pintores famosos que já havia assistido umas duas ou três vezes. Foi justo na hora em que o apresentador americano - um crítico de arte, suponho - falava sobre as qualidades do pintor em foco, que até então eu não sabia o nome. Dizia ele que o tal sujeito o fazia remeter a Rembrandt e a um outro mestre da pintura da mesma época, que agora não lembro o nome.

Fiquei logo curioso para saber de quem se tratava. Um cara que pode ser comparado a Rembrandt deve ser um gênio, pensava eu. E o tal apresentador falou o nome: Mark Rothko. Tudo bem, até que foi mostrada uma obra. E outra. E outra mais...

E mais não digo, só mostro. Vejam as “obras do gênio que remete a Rembrandt” que eu captei da página de imagens do Google (são vários quadros):
Fala sério! O que é que essa gente tem na porra da cabeça?

A NET se supera a cada dia

Estava eu tranquilamente tentando assistir uma chatura chamada “Anjos e Demônios” no canal a cabo Studio Universal - cujo o locutor oficial capricha na pronúncia para falar “iunavarsal” -, filme extraído do livro de mesmo nome, do Dan Brown - outra chatura -, quando me bateu uma dúvida sobre o nome de um dos artistas e apelei para a ficha técnica fornecida pela Net. Vejam o que me apareceu:

Aí, fiquei na dúvida sobre o nome do artista: Clementino Kelé ou Fregolente?...

Terça-feira, e a República não acabou...

Tudo bem. Vamos dar uma chance a Marcelo Odebrecht, que disse que na segunda-feira já não haveria mais República.

Afinal, o cara é baiano...

A verdade e a imprensa

Gentilmente furtada do Magu, do Blog Do Giulio Sanmartini, essa é ótima!

Um paulista está passando suas férias no Rio de Janeiro, e resolve visitar o zoológico da cidade maravilhosa. Durante o seu passeio, de repente, ele vê uma menininha se aproximando demasiadamente da jaula do leão. O leão rapidamente a ataca e, agarrando-a pela manga do casaco, tenta puxá-la para dentro da jaula, sob os olhares de seus pais que, paralisados de terror, ficam gritando.

O paulista corre rapidamente para a jaula e, por entre as suas barras, acerta em cheio um potente soco, direto no nariz do leão. Surpreso, o leão dá um pulo para trás, soltando a menininha, e o paulista, com cuidado, a pega e a entrega aos seus apavorados pais, que, muito emocionados, ficam lhe agradecendo por muito tempo.

Um repórter, que assistiu a todo o desenrolar da cena, diz ao paulista:

– Senhor, esta foi a atitude mais nobre e corajosa que eu já vi um homem tomar, em toda a minha vida.

O paulista responde:

– Não foi nada de mais, realmente. O leão já estava preso, atrás das grades, e eu apenas vi esta menininha em perigo e fiz o que achei que era a coisa mais acertada a ser feita.

O repórter diz:

– Bem, eu lhe garanto que este ato de heroísmo não irá passar em branco. Eu sou um jornalista, e o meu jornal de amanhã trará esta história, estampada na primeira página.

E o repórter ainda pergunta ao homem:

– Apenas para complementar a notícia, qual é a sua profissão, e qual é o seu posicionamento político ?

O paulista:

– Eu sou Militar aposentado, e estou viajando em férias; nas eleições para Presidente votei contra a Dilma.

O jornalista então se despede e vai embora. Na manhã seguinte, o paulista compra o jornal O GLOBO, curioso para ver como saiu a notícia sobre o salvamento da menininha das garras do leão; e, para sua grande surpresa, lê na manchete:

“Radical de extrema-direita, ligado à ditadura militar, membro do governo FHC, ataca imigrante africano e rouba o seu almoço”.

E a Bíblia tinha razão...

Mateus 27
21 O governador, pois, perguntou-lhes: Qual dos dois quereis que eu vos solte? E disseram: Barrabás.
22 Tornou-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, que se chama Cristo? Disseram todos: Seja crucificado.

Marcos 15
14 Disse-lhes Pilatos: Mas que mal fez ele? Ao que eles clamaram ainda mais: Crucifica-o!
15 Então Pilatos, querendo satisfazer a multidão, soltou-lhe Barrabás; e tendo mandado açoitar a Jesus, o entregou para ser crucificado.

Lucas 23
18 Mas todos clamaram à uma, dizendo: Fora com este, e solta-nos Barrabás!

João 18
39 Tendes, porém, por costume que eu vos solte alguém por ocasião da páscoa; quereis, pois, que vos solte o rei dos judeus?
40 Então todos tornaram a clamar dizendo: Este não, mas Barrabás. Ora, Barrabás era salteador.

E não é que, dois mil anos depois, o povo continua escolhendo os ladrões, lato sensu?

Okamoto, bate uma democracia pra mim?

Alertado pelo Milton, fui ver o que o japa que preside o Prostituto Lula tinha dito na abertura da palestra do ex-primeiro-ministro da Espanha Felipe González no referido prostituto, e verifiquei que ele não só soltou a pérola “exercício solitário de pensar o que é bom para as pessoas” para definir a democracia, como também disse que “a democracia está ainda mais complicada” por causa das redes sociais.

Bom, não preciso nem comentar quanto à imbecilidade dita sobre as redes sociais, mas “exercício solitário”, que eu saiba, tem outro nome. Já pensaram o cara dizer “vou lá no banheiro bater uma democraciazinha”?

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Lula, hors-concours em canalhice

Reservado para o povo
Hoje, na conferência “Novos desafios da democracia”, “Brahma” mandou esta:

“Temos que decidir se nós queremos salvar a nossa pele e os nossos cargos, ou queremos salvar nosso projeto.”

Ainda que essa frase tenha sido pinçada de um contexto, não resta a menor dúvida que Lula sabe o que fala e com quem está falando, já que em vez da sua própria determinação em salvar o tal “projeto”, ele simplesmente bota nas mãos sujas dos seus sequazes a opção da decisão, lavando as suas. É óbvio que, em se tratando de PT, ninguém vai abrir mão de salvar a pele e os cargos.

Mas o pior é a frase que se segue, em um “primor” de coerência com a anterior:

“E acho que nós precisamos criar um novo projeto de organização partidária nesse país.”

Ou seja, ele pede para salvar o tal projeto ao mesmo tempo que “acha” que o PT precisa de um novo.

As palavras ditas hoje por esse safardana demonstram de maneira exemplar o seu mau caráter, que me espanta mais a cada dia que passa, embora eu já tenha dito que, com essa corja, pelo seu passado recente, nós só temos o direito de nos indignar, e não mais de ficar surpresos. Acontece que Lula é hors-concours em canalhice.

Fala sério! Quanto tempo mais você acha que tem de liberdade, apedeuta? E os seus sequazes, que, aos poucos, estão indo para onde deveriam estar há muito tempo? Quanto tempo mais você acha que tem de influência sobre os pobres de espírito, dos ignorantes e aliciados pelas suas mentiras e esmolas indecentes? Quase nenhum! Acabou! Perdeu, “preibói”! Depois de preso, o dinheiro que você roubou provavelmente não será recuperado - você não é burro de todo, deve ter escondido bem -, mas o seu orgulho, a sua vaidade, a sua empáfia e o cocô cheiroso que você acha que faz, já foram pras cucuias, pro brejo, e isto já esta sendo seu maior castigo!



domingo, 21 de junho de 2015

Pérolas do Facebook de uma comunista caviar

Eu sei, é falta do que fazer, mas...

1 - “Vício é adaptação: não é você, é a gaiola”, afirma um jumento chamado Johann Hari, autor de “Chasing The Scream: The First and Last Days of the War on Drugs”, que diz ter pesquisado deus e o mundo para escrever o livro sobre drogas, acrescentando que “essa descoberta é uma contestação profunda da visão direitista e da visão liberal”. É mole? Vício agora deve ter até partido político!

2 - “En Cuba tenemos las elecciones que fija NUESTRO ordenamiento jurídico, hay libertad de expresión, lo que no hay es libertinaje”, disse “Fidelista Por Siempre” no seu Facebook, reproduzido no Face da “comunista caviar” com direito a esta foto de Fidel e os dizeres: “Fidel leyéndole la cartilla a los yankis, ¿no se nota?....” Sem comentários.

3 - Atila Roque, diretor-executivo da Anistia Internacional no Brasil afirma que não há uma onda de violência no Rio, mas sim, no Rio e no país “uma normatização de uma violência muito seletiva”. Beleza. Agora não podemos mais reclamar pelos assaltos e assassinatos que ocorrem aos borbotões porque vamos ser acusados de estarmos apenas generalizando uma forma muito particular de violência. Vai tomar no centro!


4 - “Сталин видит больше чем ты думаешь (Stalin vê mais do que você pensa)”. ??????