quinta-feira, 31 de março de 2016

Voto contra o impeachment está sendo cotado a R$ 1 milhão e, aos que faltarem à votação, R$ 400 mil!

Cagresso do braziu do pt

Ricardo Noblat

Está em curso um golpe às escondidas para impedir a realização de um desejo da esmagadora maioria dos brasileiros – o de ver o governo da presidente Dilma pelas costas.

Sabe quanto custará o golpe na boca do caixa? O que está sendo oferecido a deputados para que votem contra o impeachment ou se abstenham de votar.

Os que votarem contra receberão R$ 1 milhão para a construção de obras em seus redutos eleitorais. Os que faltarem à votação, R$ 400 mil. Fora cargos. Isso era o que o governo oferecia até ontem à noite.

Mas o mercado de votos para derrotar o impeachment está com viés de alta. E é por isso que dirigentes de partidos e deputados individualmente preferem esperar para decidir na próxima semana.

Até lá, o preço do apoio ao governo ficará mais caro. O dinheiro sairá via liberação de emendas apresentadas pelos parlamentares ao Orçamento da União. O governo só libera tal dinheiro quando carece de apoio.

Nunca careceu tanto como hoje, quando se vê ameaçado de não chegar ao fim do mandato de Dilma. Dito de outra maneira: quando vê o fim do mandato se aproximar velozmente.

O governo precisa de 172 votos ou de 172 abstenções para sobreviver ao impeachment. Dilma foi dormir, ontem, imaginando contar com 130 fechados. A oposição foi dormir contando com 306.

Para aprovar o impeachment, a oposição precisa que 372 deputados, dos 513, comparecam ao plenário da Câmara no dia marcado e votem “sim”. Não vale abster-se. A meta dela é chegar lá com 380 votos.

A meta do governo é chegar no dia da votação com 290 a 300 votos ou abstenções. Nos 130 que diz já ter, estão apenas sete votos do PMDB, dono de uma bancada de 59 deputados federais.

A mais recente pesquisa nacional do IBOPE, divulgada ontem, mostrou que 69% dos brasileiros consideram o governo de Dilma péssimo ou ruim. Ótimo e bom, só 10%.

Não confiam em Dilma: 80%. E 82% desaprovam sua maneira de governar. Para 80%, o segundo governo Dilma está sendo pior do que o primeiro, e 68% acham que o restante dele será ruim ou péssimo.

Entre as pessoas que têm até a quarta série do ensino fundamental, 70% desaprovam e 24% aprovam a maneira de governar de Dilma. Entre os que têm educação superior, 87% desaprovam e 9% aprovam.

Entre dezembro último e a este mês, a desaprovação ao governo saltou de 17% para 60% entre as pessoas que ganham até um salário mínimo, justamente as mais pobres e beneficiadas pelos programais sociais do PT.

Políticos mais críticos apelidaram o Congresso de “Clube da Falsa Felicidade” Na maior parte do tempo, deputados e senadores se comportam como se Brasília fosse um local muito distante do Brasil.

Qualquer pesquisa que ouça apenas deputados e senadores registrará avaliações bastante diferentes daquelas registradas por pesquisas que ouvem os brasileiros comuns pelo país a fora.

É quase unânime no Congresso a opinião de que o governo é ruim, e Dilma pior do que ele. No entanto... Os políticos têm seus próprios interesses que nem sempre coincidem com os dos seus eleitores.

No momento, eles querem extrair de um governo débil tudo o que ele ainda tenha para dar. No dia da votação do impeachment, a depender das circunstâncias, poderão votar contra o impeachment, abster-se ou votar a favor.

Por circunstâncias, entenda-se: o clima do país nas ruas; as pressões via redes sociais; o que receberam ou não do governo para ajuda-lo; e o que esperam receber de um eventual governo Temer.

Bispo da CNBB critica pedido de impeachment de Dilma protocolado pela OAB

O bispo auxiliar de Belo Horizonte, reitor da PUC-MG e presidente da comissão de acompanhamento da Reforma Política pela lamentável CNBB, Dom Mol, redigiu carta afirmando estar decepcionado com o pedido de impeachment de Dilma protocolado pela OAB Nacional. O sujeito critica o que chama de “conservadorismo” do presidente da instituição Cláudio Lamachia. Dom Mol diz que a justificativa de Lamachia para apoiar o impeachment, baseada no respaldo das seccionais da OAB, é “insuficiente para esmaecer a tomada de posição de um lado, quando o país está radical e agressivamente dividido, mostrando-se violento, nada cordial, virulento porque as pessoas pensam diferentemente das outras”.

O religioso completa: “esperava não um pedaço de lenha a mais nestas chamas que têm queimado pessoas e conquistas” e, na carta, Mol diz que a opinião é dele - e não da PUC, da CNBB ou da Arquidiocese de Belo Horizonte, da qual é bispo.
Vai rezar para salvar sua alma, Mol, porque o caráter já está comprometido com Satanás.


Lava Jato monta árvore criminológica, perdão, genealógica da família Lula da Silva

IstoÉ

Gráfico de ascendência e descendência familiar do ex-presidente integra relatório elaborado pela Polícia Federal, que traz ainda dados de vínculos societários e 'outras informações relevantes' como as de viagens internacionais, desde 2007

Ao investigar o envolvimento do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva com supostos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, no esquema descoberto na Petrobrás, a Operação Lava Jato montou um diagrama de sua família, de dois irmãos, José Ferreira da Silva, o Frei Chico, e Genival Ignácio da Silva, o Vavá, e do sobrinho Taiguara Rodrigues dos Santos.

O Relatório de Análise 769, da Polícia Federal, reúne, além dos diagramas com os elos familiares de Lula, “os vínculos societários dos mesmos e seus familiares, bem como, outras informações relevantes”. Uma delas sobre viagens internacionais dos alvos, com base em dados extraídos do Sistema Nacional de Tráfego Internacional.

O documento é de 11 de novembro e está anexado ao inquérito em que Lula é investigado por supostos crimes, em especial corrupção e lavagem de dinheiro, no recebimento de propina, oculta em forma de pagamentos de palestras via empresa LILS Palestras e Eventos. A empresa passou a ser usada pelo petista a partir de 2011, após deixar a Presidência, para dar consultorias e palestras para empresas, principalmente em países da América Latina e África. O inquérito foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo juiz federal Sérgio Moro – dos processos da Lava Jato, em primeira instância, em Curitiba – há duas semanas.

O “gráfico de ascendência e descendência” montado pela PF, com Lula ao centro, abre o relatório. “Luiz Inácio Lula da Silva nasceu em Garanhuns (PE), em 27 de outubro de 1945, é um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT), torneiro mecânico formado pelo Senai, Lula tornou-se em 2002 o 35º presidente da República do Brasil, cumprindo dois mandatos sucessivos, encerrados em 2010″, informa. “Atualmente encontra-se casado com Marisa Letícia, o ex-presidente é pai de cinco filhos, sendo que Lurian Cordeiro é fruto da relação de Lula com a enfermeira Mirian Cordeiro.”

Espécie de árvore genealógica resumida a quatro gerações da família Lula da Silva, o documento lista os cinco filhos do ex-presidente: Sandro Luis Lula da Silva, Fábio Luis Lula da Silva, o Lulinha, Luis Claudio Lula da Silva, alvo da Operação Zelotes, Marcos Cláudio Lula da Silva e Lurian Cordeiro Lula da Silva. A eles, estão associados ainda ex e atuais cônjuges e os netos.

“Utilizando-se do gráfico acima, foram realizadas pesquisas para todos os CPFs constante nele, com vistas a verificar as suas participações societárias, vínculos empregatícios e por fim, a relação de pessoas que mais os acompanharam em viagens internacionais”, relatam o agente Wiligton Pereira e o delegado Márcio Anselmo, da equipe da Lava Jato. No caso de Lula, foi “verificado somente sua participação em quadros societários e suas viagens internacionais a partir do ano de 2010, quando deixou a Presidência da República”.

A Lava Jato reuniu elementos para apontar que Lula pode ter usado a família para ocultar patrimônio e recebimentos ilícitos. São investigados, por exemplo, pagamentos feitos para empresas dos filhos pela LILS e pelo Instituto Lula -ambos recebedores de valores milionários de empresas do cartel acusado de corrupção na Petrobras.

Irmãos. A Lava Jato criou diagramas também para as famílias de dois irmãos do ex-presidente: Frei Chico e Vavá. Nas duas imagens foram associados filhos e pessoas ligadas a eles, bem como empresas com quem eles têm vínculos e registros de saída do Brasil nos últimos dez anos.

No caso de Vavá, a PF copiou reportagem publicada em 2007, quando o irmão mais novo de Lula foi alvo de investigação na Operação Xeque Mate. Ele era suspeito de tentar traficar influência no governo federal em nome de empresários ligados a bingos eletrônicos ilegais, em Mato Grosso.

Vavá foi também monitorado em conversa com Lula, após a deflagração da Operação Aletheia – 24ª fase da Lava Jato -, no dia 4, quando o ex-presidente foi levado coercitivamente para depor e sua casa alvo de buscas. No diálogo, os dois falam que não poderiam se encontrar por causa da presença de “um monte de peão na porta de casa pra bater nos coxinhas”. “Se os coxinhas aparecer (sic..) eles vão tomar tanta porrada que eles nem sabem o que vai acontecer.”

Sobrinho. A PF destacou em seu relatório sobre a família Lula os vínculos familiares e de empresas de um sobrinho, Taiguara Rodrigues dos Santos. Ele é filho de Jacinto Ribeiro dos Santos, conhecido como Lambari, irmão da primeira mulher de Lula, Maria de Lourdes da Silva – já falecida.

Seu nome é conhecido em Brasília, como o “sobrinho de Lula”. A PF anexou uma reportagem da revista Veja, no relatório, sobre a ascensão de negócios a partir de 2009, com citação a contratos em Angola e com a Odebrecht – alvo da Lava Jato. Ele é dono da Exergia Brasil Projetos de Engenharia, ligada a uma empresa portuguesa. Taiguara chegou a ser convocado para depor na CPI do BNDES, no ano passado, pelos recebimentos da empreiteira em obras na África.

A PF desta que Taiguara viajou 2014 três vezes para o Panamá, uma delas no mesmo voo em que estavam Fabio Luis Lula da Silva, o Lulinha, e Fernando Bittar, sócio do filho de Lula e dono na escritura do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP). O ex-presidente é alvo de outro inquérito aberto pela Lava Jato para apurar a compra da propriedade, em 2010, supostamente em nome de laranjas, e reformas realizadas, em 2011, por duas empreiteiras acusadas de corrupção na Petrobrás – Odebrecht e OAS – e pelo amigo José Carlos Bumlai.

O Instituto Lula respondeu

“Esse relatório, e seu vazamento para a imprensa, é só mais uma amostra do grau de obsessão da Operação Lava Jato em perseguir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo sem haver nenhum indício de qualquer crime cometido pelo ex-presidente ou de qualquer relação destas pretensas investigações sobre sua família com os desvios da Petrobras que são a razão de ser da Operação. Não faz nenhum sentido a perda de tempo de funcionários do estado e de recursos públicos listando viagens ao exterior de familiares do ex-presidente que não exercem cargos públicos nem estão sendo acusados de qualquer crime. Após divulgar conversas telefônicas privadas, a privacidade de familiares do ex-presidente é de novo desrespeitada pelo mero fato de serem parentes de Lula. Vamos deixar claro mais uma vez: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sempre agiu dentro da lei antes, durante e depois de ocupar a presidência da República por dois mandatos. Não tem contas no exterior, não oculta patrimônio, não tem “offshore”. Não é dono de apartamento no Guarujá ou sítio em Atibaia. Não cometeu nenhum crime. E só é possível compreender a forma como ele é perseguido e difamado de maneira obsessiva por ser reconhecido como o melhor presidente da história do Brasil.

Assessoria de Imprensa do Instituto Lula”


Primavera do Leste, onde - dizem - Dilma comprou fazendas, tem o 3º maior cartório do Brasil em faturamento

Pois é. Recebi essa notícia meio requentada - tem um ano:

No dia 03/02/2015 um jato pousou as 23:00 horas no aeroporto de Primavera do Leste MT, abriram o cartorio a meia noite com nada menos nada mais que a Sr. Dilma a sua filha, sobrinho e empresários.

A presidente precisou de testemunhas na documentação das terras e os corretores são da região. Saíram as duas da madrugada com todos os documentos assinados e com firmas reconhecidas.

Nossa presidente comprou nada mais nada menos do que duas das maiores fazendas do Mato Grosso.

Fazenda Iberê que era do grupo Sabo e a fazenda IBF foram compradas pela presidente Dilma, sendo que uma ficou em nome de seu sobrinho e a outra em nome da sua filha com parceria com dois laranjas na documentação.

Vicente Alencar Jornalista, radialista e escritor

Duvidei da veracidade, como sempre, mas fiquei com a pulga atrás da orelha - afinal, a essas alturas do campeonato, nada mais me surpreende - e fui fuçar. Não encontrei nada de concreto a não ser uma ou outra menção ao texto no Google. Além disso, não há como acessar dados do Serviço Registral de Imóveis e Títulos de Primavera do Leste, em Mato Grosso, sem pagar, o que inviabiliza a consulta. Ainda se eu fosse patrocinado...

Mas eis que me deparo com a seguinte notícia no Globo de 18/01/2014:

“Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revelam que, em apenas um semestre, 13.233 cartórios brasileiros arrecadaram R$ 6 bilhões. O levantamento exclui 570 cartórios, que não informaram seus rendimentos ao CNJ. Em média, no período informado, os cofres de cada estabelecimento engordaram R$ 444 mil. O cartório mais rentável do país é o 9º Ofício de Registro de Imóveis do Rio. Em seis meses, ele recebeu R$ 48,5 milhões. Em segundo lugar está o 11º Ofício de Registro de Imóveis de São Paulo, com R$ 44,1 milhões em um semestre. O terceiro colocado é o Serviço Registral de Imóveis e Títulos de Primavera do Leste, em Mato Grosso. O rendimento em seis meses foi de R$ 33 milhões.”

Fala sério! Um cartório de Primavera do Leste, cidadezinha de 57.452 habitantes, em um município com 5.489 quilômetros quadrados (IBGE), faturar 33 milhas em seis meses só pode ter sacanagem no meio!

Coincidência?


Marco Aurélio Mello adere ao desgoverno


“Se não houver um fato jurídico que respalde o processo de impedimento, esse processo não se enquadra no figurino legal e transparece como um golpe. O Judiciário é a última trincheira da cidadania. Pode haver um questionamento para demonstrar que não há fato jurídico, muito embora haja fato político, suficiente ao impedimento. E não interessa, de início, ao Brasil apear esse ou aquele chefe do Executivo, seja nacional ou estadual, porque, a meu ver, isso gera até mesmo muita insegurança. O ideal seria o entendimento entre os dois Poderes, como preconizado pela Carta da República, pela Constituição Federal, para combater-se a crise que afeta o trabalhador, a mesa do trabalhador, que é a crise econômico-financeira. Por que não se sentam à mesa para discutir as medidas indispensáveis nesse momento? Por que insistem em inviabilizar a governança pátria? Nós não sabemos.”

Marco Aurélio Mello, sinistro do STF - aquele mesmo que concedeu o habeas corpus que permitiu a fuga de Cacciola do País, fato pelo qual, dizem, lhe rendeu um apartamentaço na Barra da Tijuca - contrariando seus pares e o bom senso ao dizer que o impeachment é golpe, além de dizer a asneira de que quem quer o impeachment inviabiliza “a governança pátria”, esquecendo-se, convenientemente, que essa “governança” está inviabilizada há muito tempo e que nós, cidadãos de bom senso queremos é um governo que seja viável, situação impossível sem que a quadrilha do PT seja extirpada do governo até a raiz.

quarta-feira, 30 de março de 2016

Avisem ao Wagner Moura que quem votou em Temer foi ele!

Trechos do artigo (?) de Wagner Moura (em vermelho, comme il faut) na Folha:

Um governo que tirou milhões de brasileiros da miséria e deu oportunidades nunca antes vistas para os pobres do país. Não nego, em nome dessas conquistas, as evidências de que o PT montou um projeto de poder amparado por um esquema de corrupção.
A incoerência desse rapaz - e dos petralhas em geral - é enternecedora! Esse pateta quer enganar quem com esse papo? Ainda que as “conquistas” fossem verdadeiras e não a enganação que são, o rapaz se contradiz ao admitir o esquema de corrupção do PT, que vai custar aos próprios pobres - e ao povo em geral - trocentas vezes mais do que os supostos benefícios.

A popularidade crescente de políticos fascistas como Jair Bolsonaro.
Os panacas costumam classificar como fascistas todos aqueles que se opõem à quadrilha que eles defendem. Tá certo que Bolsonaro não é exatamente um exemplo do que deva ser uma oposição pelo seu histrionismo, mas de fascista ele não tem nada.

O que está em andamento no Brasil hoje, no entanto, é uma tentativa revanchista de antecipar 2018 e derrubar na marra, via Judiciário politizado, um governo eleito por 54 milhões de votos. Um golpe clássico.
Nem vou comentar essa ladainha de “golpe” porque já deu no saco!

Sergio Moro é um juiz que age como promotor. As investigações evidenciam atropelos aos direitos consagrados da privacidade e da presunção de inocência. São prisões midiáticas, condenações prévias, linchamentos públicos, interceptações telefônicas questionáveis e vazamentos de informações seletivas para uma imprensa controlada por cinco famílias que nunca toleraram a ascensão de Lula.
Outra lenga-lenga chata pra cacete essa de prisão midiática, etc..  Neguinho parece disco estragado. Quanto às cinco famílias que “controlam” a imprensa, outra chatice, essa, digamos, “denúncia” é tão esdrúxula quanto citar o New York Times, o Greenwich News, o Daily News, o Washington Post e o New York Post, os cinco maiores jornais dos Estados Unidos, todos particulares, tendo “famílias” como proprietárias,como culpados por eventuais besteiras do Obama. O que ele quer mesmo são os Amorins, Cartas, Azenhas et caterva, pagos com o dinheiro dos contribuintes para mentir para nós.

Você que, por ser contra a corrupção, quer um país governado por Michel Temer.
A maior das incoerências! Avisem a esse mequetrefe que quem votou em Temer foi ele mesmo ao votar em Dilma e quem pariu Mateus que o embale!

Um impeachment sem crime de responsabilidade provado contra a presidente é inconstitucional.
Será que a azêmola já abriu a Constituição uma vez só, que seja?

O fato de o ministro do STF Gilmar Mendes promover em Lisboa um seminário com lideranças oposicionistas, como os senadores Aécio Neves e José Serra, é, no mínimo, estranho.
Como diria Millôr, a pior parte da meia verdade é a meia mentira. O idiota que quer nos fazer à sua imagem, “esqueceu” de mencionar que também há políticos do PT no 4° Seminário Luso-Brasileiro de Direito - organizado pelo Instituto Brasiliense de Direito Público e pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, portanto, se a sua quadrilha não está sendo convenientemente defendida por lá é graças a eles.

Pediatra particular se nega a atender filho de petista em consulta

Diário Gaúcho

Uma pediatra se negou atender uma criança de um ano e um mês, na Capital, porque o menino é filho de uma militante do Partido dos Trabalhadores (PT) e teve o comportamento aprovado pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers). Em entrevista ao Diário Gaúcho, o presidente da entidade, Paulo de Argollo Mendes, defendeu a profissional:

- Ela tem a nossa admiração - disse Paulo de Argollo, em entrevista ao Diário Gaúcho.

O caso ganhou repercussão na semana passada quando Ariane Leitão, vereadora suplente na Capital e secretária de Políticas para as Mulheres do Rio Grande do Sul durante a gestão Tarso Genro, publicou uma mensagem que teria sido enviada pela pediatra Maria Dolores Bressan.

No texto, a médica explica: “…Tu e teu esposo fazem parte do Partido dos Trabalhadores (ele do Psol) e depois de todos os acontecimentos da semana e culminando com o de ontem, onde houve escárnio e deboche do Lula ao vivo e a cores, para todos verem (representante maior do teu partido), eu estou sem a mínima condição de ser Pediatra do teu filho”.

Diário Gaúcho - Como que o sindicato vê a atitude da médica?
Paulo de Argollo Mendes - É absolutamente ética. O código de ética médico tem um artigo que estabelece como deve se dar a relação entre médico e paciente. Tem coisas muito claras. Por exemplo, se é uma urgência ou se tu és o único médico da cidade, tu atendes e ponto. Não tem condicionais, é a tua obrigação. Tu não és o único médico da cidade e o paciente tem a possibilidade de escolher outros profissionais, daí tu tens que ser honesto, tem que ser leal com o teu paciente. Se tem alguma coisa que te incomoda e que tu achas que vai prejudicar a tua relação com o teu paciente, se tu não vais se sentir confortável, se não vai ser prazeroso para ti atender aquela pessoa, tu deves dizer para ela francamente: olha, prefiro que tu procures um colega.


De minha parte, concordo plenamente. A relação de cordialidade e identificação entre médico e paciente é fundamental para a medicina, digamos, de rotina, preventiva. A médica seria irresponsável se atendesse a criança de má vontade. Por mais que essa atitude seja antipática, ele é correta.

Sacanagem! Acabaram com a farra dos petralhas de Santa Catarina

O documento acima, elaborado pelo SINTE/SC, Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina, oferecia R$ 300 a troco de ajuda de custo para quem se dispusesse a ir à Brasília no dia 31 para fazer baderna.

Como eu não publico nada sem comprovação - às vezes passa, fazer o quê... -, fui no site do tal SINTE e descobri um outro a respeito:

Mas foi bom ter vazado. Ao se ver desmascarada, a diretoria cancelou a brincadeira....

Piada do Dia

“A tese de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi nomeado como ministro da Casa Civil para obter alguma vantagem com a prerrogativa de foro por função é baseada em meras suposições e afirmações desamparadas de um conteúdo probatório lícito mínimo.”

Advocacia-Geral da União, em manifestações encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal.

terça-feira, 29 de março de 2016

Uma piadinha, só pra não passar em branco hoje

A velhinha com mais de 80 anos, entra na farmácia:
- Vocês têm analgésicos?
- Temos sim, senhora.
- Vocês têm remédio contra reumatismo?
- Temos sim, senhora.
- Vocês têm pomada anti-ruga?
- Temos sim, senhora.
- Vocês têm gel para hemorróidas?
- Temos sim, senhora.
- Vocês têm bicarbonato?
- Temos sim, senhora.
- Vocês têm antidepressivos?
- Temos sim, senhora.
- Vocês têm soníferos?
Temos sim, senhora.
Vocês têm remédio para a memória?
- Temos sim, senhora.
- Vocês têm fraldas para adultos?
- Temos sim, senhora.
- Vocês têm...
- Minha senhora! Aqui é uma farmácia, é claro que nós temos isso tudo! Qual é o seu problema?
- É que vou casar com meu noivo, de 85 anos, no fim do mês. E nós gostaríamos de saber se podemos deixar nossa lista de casamento aqui, com vocês!

segunda-feira, 28 de março de 2016

O triste fim de Mino Carta, o moleque de recados do Jararaca

Mino Carta, o canalha que escreve a mando de Lula e a soldo de polpudas mesadas que saem dos nossos bolsos, insinua que os EUA estão por trás do que ele chama de "golpe" contra o desgoverno.
Volta pra Itália, seu vendido, ou vá para a puta que o pariu!

Depoimento de Caetano sobre sua experiência com o chá Ayahuasca

Imaginem a figura, que já tem uma cabeça pra lá de subjetiva e complicada, sob os efeitos do Ayahuasca. Veja seu depoimento no Jô. Dei boas risadas, principalmente no final.

Nem os pavões do palácio escaparam da sanha criminosa do Jararaca


Entre os documentos apreendidos naquele sítio de Atibaia que não é do Jararaca, estava um atestado sanitário autorizando o transporte de aves exóticas, datado em 2012. As guias mostram que o transporte foi feito pela empresa TAM.


domingo, 27 de março de 2016

Toma Mais Uma em edição extraordinária: Rato de praia é liberado pela galera após meia hora de espera pela PM, que não chegou

Uma tréplica ao José da Conceição, vulgo, Zé do PT

Então vamos lá, Zé do PT. Você diz não ser comunista - e muito menos eu disse isso -, mas seu discurso é ao, demagogicamente, dizer que “luta e procura apontar as causas que geram as classes desfavorecidas cultural e economicamente” quando todos estamos fartos de saber que essas misérias são frutos exclusivos de países governados por déspotas que ousam pegar o poder como violinistas medíocres pegam seus violinos: tomam com a esquerda e tocam com um arremedo de direita.

Não é assim que funciona aqui no braziu do pt, onde os bancos e as grandes empresas têm lucros astronômicos e o povo continua numa merda de dar dó?

Pois é, Zé do PT. Eu não vou lhe responder mais uma vez, mas desta, vou deixar que Jarbas Agnelli responda por mim.

O petista instruído

O petista instruído é um sujeito extremamente avançado. Paira acima de nós, homens comuns, muitíssimo à frente de seu tempo. O petista instruído é uma entidade do futuro. Isso faz com que nós, míseros seres do presente, não encontremos nexo em suas frases ou lógica em seus pensamentos. O petista instruído vibra em outra frequência, fala em outro idioma. Nossa mente primitiva não é aparelhada para compreendê-lo. Se pudéssemos absorver, mesmo que por um segundo, a beleza de seu raciocínio superior, provavelmente nossos cérebros explodiriam.

Nós, seres das trevas, não entendemos quase nada sobre nada. Vagamos sem rumo, perdidos em um imenso oceano de dúvidas e inquietações. Enquanto isso, o petista instruído segue seguro por terra firme, olhos fixos no horizonte, carregando nas costas sua mochila vermelha, abarrotada com todas as respostas que ele precisará, pelo resto de sua existência.

O petista instruído enxerga o todo. Lê nas entrelinhas. Ouve o não dito. Entende o sub texto. Qualidades que o resto de nós nem sonha em um dia possuir, grotescos e abrutalhados que somos. Seres literais, que acreditam apenas nos fatos como se apresentam. Falta-nos a sua sensibilidade e capacidade de interpretação.

O petista instruído sabe selecionar e processar informações. Ele quer, como o resto de nós, o fim da corrupção, um Brasil mais justo e um governo mais eficiente. Mas não perde seu tempo chutando para todos os lados, como nós, pobres almas perdidas, que atacamos de Dilma a Cunha, de Renan a Aecio, mergulhados em uma confusão sem fim. O petista instruído otimiza seu tempo, usando seu foco apurado para criticar apenas quem tem que ser criticado. Sua análise é precisa e sua timeline, minimalista e econômica.

O petista instruído não se prende à picuinhas. Detalhes, como PIB negativo, o número de desempregados ou o rombo de 2,4 trilhões. Discussões meramente matemáticas do dia a dia são preocupações de gente que não tem a visão de longo alcance do petista instruído. Ele sabe que no fim tudo dará certo. E se não der, terá um boa explicação para isso.

Mas nem tudo são rosas na vida do petista instruído. Estar a frente de seu tempo não é uma tarefa fácil. Carregam o fardo de serem ilhas de respostas, cercados de ignorantes por todos os lados: pessimistas, alarmistas, gente cega e despreparada. A missão suprema do petista instruído é distribuir um pouco do bálsamo de seu conhecimento profundo. O petista instruído se sacrifica por sua nobre causa, doando horas e horas diárias de tempo nas redes sociais, para nos ungir com a benção de seus comentários iluminados.

O petista instruído é humilde. Raramente é visto assumindo sua petistice. "Não sou petista, mas..." é uma das formas que inicia suas pequenas aulas gratuitas, sem se gabar de sua superioridade.

Incompreendido por nós, enorme maioria obtusa, e muitas vezes rechaçado em público, o petista instruído não titubeia, e segue triunfante com seu pacote de certezas, em sua missão civilizatória e educadora. Eles são poucos, mas estão espalhados por muitas esferas. São artistas, escritores, atores, cineastas, articulistas, músicos etc, que nos mostram que, além de um conhecimento profundo, é preciso muita sensibilidade para atingir o nirvana da compreensão política e humana.

Louvemos então este ser superior, o petista instruído, que flutua tranquilo acima das hordas de desesperados. Paremos de resistir à melodia, para nós estridente, que sai de sua flauta escarlate, e sigamos, crianças, atrás do petista instruído - o petista de Hamelin. Se ele nos leva, aparentemente, ao precipício e à morte, é apenas senão pela mais nobre das causas: para que renasçamos todos em um mundo melhor, que só ele consegue enxergar a existência.

Uma respostinha ao Zé

Desculpe a minha ignorância, Zé do PT, mas por que cargas d'água quando se cita um fato que envolva algo ou alguém da esquerda, a primeira coisa que os esquerdopatas fazem é arranjar um outro, à imagem e semelhança, com o sinal trocado, em vez de analisar e rebater, se for o caso, com argumentação plausível?

Esse insondável mistério dá margem a uma quase certeza que o problema da esquerda é a falta de raciocínio aliada a uma teimosia em reconhecer que a enganação acabou, que a ideologia social-comunista não se sustenta mais nem com as mentiras que seus adeptos insistem em continuar criando. Daí essas intoleráveis e cansativas tentativas de se justificar um crime por outro.

É óbvio que isso também é uma das raízes das ideologias esquerdopatas, que já nasceram tortas pela obrigatoriedade do maniqueísmo, da pobreza intelectual da dualidade excludente da sociedade, dividida em "a favor" e "contra", por absoluta falta de imaginação e pela necessidade premente e inexplicável dos esquerdistas em se vitimizarem, caso as besteiras que venham a fazer - e como as fazem - sejam desmascaradas e denunciadas.

Nós, a gente normal - liberais e conservadores, se assim o quiser -, não temos apenas uma linha de conduta, não consideramos quem é contra as nossas ideias como inimigos a serem exterminados porque apenas raciocinamos, debatemos em outro nível e absorvemos o que possa prestar, o que nos enriquece.

Portanto, Zé do PT, eu não vou dizer o que o TMU acha sobre o suposto assassinato desse tal Arcanjo, porque eu me recuso a debater no nível de “o meu crime é melhor que o seu”. Isso não é problema de política, mas sim de polícia, instituição que, atualmente, seus ídolos são assíduos frequentadores. Como criminosos, é claro.

sábado, 26 de março de 2016

Covarde, Dilma em pânico esteve a ponto de decretar “Estado de Defesa”

Claudio Humberto

Chefes militares informaram a oposição, em reuniões secretas, que o governo discutia a adoção de medidas semelhantes àquelas utilizadas na Venezuela para sufocar os protestos de rua. Houve inclusive tratativas com próceres da semi-ditadura venezuelana. O plano era decretar “Estado de Defesa”, suspendendo direitos fundamentais, como de reunião (e manifestação) e sigilos telefônicos e de correspondência.
 
A ideia de jerico do “Estado de Defesa” surgiu após o protesto do dia 13, o maior da História, com o pânico a Dilma e de dirigentes do PT. O pretexto do “Estado de Defesa” seria evitar “graves distúrbios” em cidades onde ocorreram as maiores manifestações, no dia 13.

O Estado de Defesa esteve na iminência de ser decretado no dia em que 6 mil pessoas gritaram “renuncia, renuncia”, diante do Planalto. Fontes palacianas relatam que uma assustada Dilma gritou e chorou muito, ao se ver sitiada e retirada às pressas no Palácio do Planalto.

Mais uma vez, não surpreende: indigna. Depois nós, que combatemos essa putaria toda, é que somos os golpistas...

sexta-feira, 25 de março de 2016

Seus filhos e netos ainda vão ter um professor assim (se é que já não têm)

Steeves Philip Beringhs, é um professor de Atualidades, Filosofia e Sociologia que lecionava (?) em um colégio de Sampa, do qual levou um pé na bunda por pregar ideologias político-partidárias - que vocês já podem imaginar quais sejam - em salas de aula.

Vejam só a reação dele pelo Facebook (que ele covardemente encerrou - canalhas são como pombos: fazem a cagada e depois saem voando), sob o codinome de “Tive Berix”: 


Além de tudo é analfabeto funcional: “vilimpêndio” é a puta que o pariu!

O nível PT de analfabetismo continua fazendo vítimas na imprensa

A notícia no Globo sobre a demolição de uma casa errada atribuída a uma falha do Google Maps, que era para ser curiosa, ficou bizarra. Quem escreveu a matéria e não assinou, acabou demolindo a Gramática.


Casas “germinadas” é o cacete! Quem foi que plantou as sementes?

Cartinha LGBT evidencia que militância gay não sabe o que é democracia

Pois é. União Nacional LGBT, Articulação brasileira de gays - Artgay Articulação, ABGLT, ANTRA, MOVELOS (CEARÁ), FÓRUM PAULISTA LGBT, GRUPO LAMBDA LGBT, FPTT, Rede de Juventude Alexandre Ivo e FALGBT resolveram escrever uma cartinha aos seus membros e simpatizantes clamando por democracia. Eu só queria saber desses energúmenos o que é que eles entendem como democracia.

Comento o “manifesto” em negrito (será que pode escrever negrito sem ser patrulhado?), às vezes brincando - até porque não há como não levar esses absurdos na chacota - às vezes sério e puto (êpa!) da vida.

Leiam:

“Nós cidadãs e cidadãos Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) nos últimos 500 anos do Brasil [“Só” nos “últimos 500 anos”? E nos outros 16?], tivemos nossos direitos negados [Quais direitos, minhas santas? Por acaso vocês querem privilégios apenas por dar o que eu não dou? Sim, porque fora isso, que não tem a menor relevância, o que os faz diferentes de mim para serem assim tão “especiais” para merecerem legislação à parte?], na última década ampliamos conquistas, simultaneamente ao processo de consolidação da Democracia brasileira, vivemos um período de consideráveis avanços. Em 2003 com a criação do Programa Brasil sem Homofobia, conquistamos o reconhecimento pelo STF das uniões homoafetiva; a participação nas políticas sociais, o acesso Integral da população LGBT no SUS, o direito ao processo transexualizador, o uso do nome social; ampliação da participação e o controle social, os instrumentos legais de políticas públicas de enfrentamento ao preconceito, à discriminação e promoção dos direitos humanos de LGBT, por meio das Conferências, da Coordenação Geral de Promoção dos Direitos LGBT, do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos LGBT, Sistema Nacional de Enfrentamento à Violência LGBT, Comitê Técnico de Cultura do MinC e o Disque 100 LGBT.

LGBT hoje não canta mais o hino da fome, a situação é diferente; enfrentamos uma crise do capitalismo, mas garantimos nas urnas a continuidade do projeto político que vem demonstrando compromisso com o enfrentamento às desigualdades [Que crise é essa, minhas santas, a não ser a criada pelos energúmenos em quem vocês votaram?]. Contudo, forças reacionárias, golpistas, conservadoras e fundamentalistas [Digam para mim, minhas santas, quem está querendo dar golpe abrigando bandido no governo para fugir da justa?], usam instrumentos políticos há séculos para nos oprimir [E eu que pensava que vocês gostavam de ser oprimidos, no sentido daquele “que sofre compressão; apertado, comprimido”...]; não suportam ver a justiça social, com distribuição de renda, como o bolsa família, minha casa minha vida, Luz para Todos, Ciências sem Fronteiras, as Ações Afirmativas, o ProUni, Pronatec, as cotas nas Universidades e no serviço público.

O povo brasileiro bate panela porque tem direitos sociais [Hein?!...]. A estagnação econômica agravada pelos partidos da direita [Então vocês admitem que a estagnação é da esquerda e que é só agravada pela direita?], não aceitaram a derrota e não respeita o Estado Democrático de Direito, uma tentativa de implementar um golpe midiático-jurídico partidarizado [Sua gramaticazinha já é ruim de doer tentando ser simples, não inventem porque piora as coisas] , manipular mentes e corações, causando sensação de angústia e descrédito; aliados a um discurso de ódio e intolerância fundamentalista, uma verdadeira luta de classes, numa tentativa de dar um golpe nas conquistas da população de jovens, negr@s, mulheres, LGBT, comunidades tradicionais de terreiro, quilombolas, indígenas, população em situação de rua, pessoas vivendo com HIV/aids, entre outros historicamente excluídos da Democracia e dos espaços de Poder e decisão, geram o sentimento de ódio contra nós e contra a Democracia [Quem dividiu o País em “classes” foram vocês, seus hipócritas, apenas para se beneficiarem disso e posarem de vítimas!].

Precisamos neste momento defender a democracia, suas instituições, nossas conquistas, para que o nosso projeto democrático e de participação, onde a classe trabalhadora, nós LGBT, as mulheres, estudantes; não sejamos derrotados, só com a Democracia podemos ver o país crescer e avançar nos direitos e igualdade de oportunidades.

Querem defender a democracia? Então, para começar, considerem-se como brasileiros, submetendo-se às mesmas leis dos que não estão incluídos nesses grupelhos de fantasia em que vocês insistem em dividir a população. Para a Constituição não há índios, negros, gays, lésbicas, mulheres ou homens ou qualquer outra “classe”. Para ela há apenas cidadãos, e para todos eles a Lei é igual.

IstoÉ enquadra Dilma em pelo menos sete crimes

IstoÉ
Na terça-feira 22, a presidente Dilma Rousseff proferiu o seu mais inflamado discurso desde o início da crise política. O pronunciamento apoiou-se no pretenso argumento de que até agora ela não cometeu crime algum e que, por isso, estaria sendo vítima de um golpe contra a democracia. “Não cometi nenhum crime previsto na Constituição e nas leis para justificar a interrupção do meu mandato. Neste caso, não cabem meias palavras: o que está em curso é um golpe contra a democracia”, afirmou Dilma.
A retórica repetida como ladainha em procissão é típica de mandatários em apuros, quando não há muito mais o que fazer senão aguardar o fim que se avizinha. Em seus últimos dias como presidente, em 1992, Fernando Collor recorreu ao mesmo expediente. “Custe o que custar, eu serei o primeiro a estar na defesa e no embate da nossa Constituição. As manobras interessam aos que formam o sindicato do golpe”, disse Collor em agosto daquele ano. Ironicamente, quem estava do outro lado da trincheira, defendendo a legitimidade das ações para apear Collor do poder, era o PT.
###

1- CRIME DE RESPONSABILIDADE

 Obstrução da Justiça I – Diálogo Dilma/Lula
Em diálogo mantido entre a presidente e o antecessor na quarta-feira 16, Dilma disse a Lula que enviaria a ele um “termo de posse” de ministro para ser utilizado “em caso de necessidade”. A presidente trabalhava ali para impedir que Lula fosse preso antes de sua nomeação para a Casa Civil. Os atos seguintes corroborariam o desejo de Dilma de livrar Lula dos problemas com a Justiça. Enquanto o presidente do PT, Rui Falcão, informava que a posse de Lula só ocorreria na terça-feira 22, o Planalto mandava circular uma edição extra do Diário Oficial formalizando a nomeação.
Obstrução da Justiça II – Nomeação de Navarro
O senador Delcídio do Amaral (MS) afirmou em delação premiada, revelada por ISTOÉ, que a presidente Dilma Rousseff, numa tentativa de deter a Lava Jato, o escalou para que ele fosse um dos responsáveis por articular a nomeação do ministro Marcelo Navarro Dantas, do STJ, em troca da soltura de presos da investigação policial.
Obstrução da Justiça III – Compra do silêncio de Delcídio
O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, foi escalado para tentar convencer o senador Delcídio a não fechar acordo de delação premiada com o Ministério Pública Federal, que chegou a insinuar ajuda financeira, caso fosse necessário.
Obstrução da Justiça VI – Cinco ministros na mão
O senador Delcídio afirmou que Dilma costumava dizer que tinha cinco ministros no Supremo, numa referência ao lobby do governo nos tribunais superiores para barrar a Lava Jato.
§  Enquadramento legal – Inciso 5 do Artigo 6º da Lei 1.079/1950: Opor-se diretamente e por fatos ao livre exercício do Poder Judiciário, ou obstar, por meios violentos, ao efeito dos seus atos, mandados ou sentenças.
###

2- CRIME DE DESOBEDIÊNCIA

Nomeação de Lula no Diário Oficial
Apesar de decisão da Justiça Federal que sustava a nomeação do ex-presidente para a Casa Civil, Dilma fez o ato ser publicado no Diário Oficial da União.
§  Enquadramento legal – Artigo 359 do Código Penal: Exercer função, atividade, direito, autoridade ou múnus, de que foi suspenso ou privado por decisão judicial
###

3- EXTORSÃO

Ameaças para doação de campanha
Ricardo Pessoa, da UTC Engenharia, afirmou ter pago propina à campanha presidencial em 2014 porque teria sido ameaçado pelo ministro Edinho Silva, então tesoureiro de Dilma, de ter obras canceladas com o governo. Há uma representação na PGR contra Dilma para apurar o possível achaque.
§  Enquadramento legal – Artigo 158 do Código Penal: Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, e com o intuito de obter para si ou para outrem indevida vantagem econômica, a fazer, tolerar que se faça ou deixar de fazer alguma coisa.
###

4- CRIMES ELEITORAIS

Abuso de poder na campanha de 2014
Dilma é acusada em ação no TSE de se valer do cargo para influenciar o eleitor, em detrimento da liberdade de voto, além da utilização de estruturas do governo, antes e durante a campanha, o que incluiria recursos desviados da Petrobras.
Caixa 2 para Santana e Mõnica
A Polícia Federal apontou no relatório de indiciamento do marqueteiro do PT João Santana e de sua mulher, Mônica Moura, que o casal recebeu pelo menos R$ 21,5 milhões entre outubro de 2014 e maio de 2015 – período pós reeleição da presidente Dilma – do “departamento de propina” da Odebrecht. Isso reforça as suspeitas de caixa 2 na campanha, descrita no Código Eleitoral como “captação ilícita de recursos”.
§  Enquadramento legal – Art. 237, do Código Eleitoral: A interferência do poder econômico e o desvio ou abuso do poder de autoridade, em desfavor da liberdade do voto, serão coibidos e punidos com cassação e ineligibilidade.
###

5- CRIMES DE RESPONSABILIDADE FISCAL

Pedaladas para maquiar as contas
A presidente Dilma incorreu nas chamadas “pedaladas fiscais”, a prática de atrasar repasses a bancos públicos a fim de cumprir as metas parciais da previsão orçamentária. A manobra fiscal foi reprovada pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
§  Enquadramento legal – Inciso III do Art. 11 da Lei 1.079/1950: Contrair empréstimo, emitir moeda corrente ou apólices, ou efetuar operação de crédito sem autorização legal
Decretos não numerados
A chefe do Executivo descumpriu a lei ao editar decretos liberando crédito extraordinário, em 2015, sem o aval do Congresso. Foram ao menos seis decretos enquadrados nessa situação.
§  Enquadramento Legal – Inciso VI do Artigo 10 da Lei 1.079/1950: Ordenar ou autorizar a abertura de crédito em desacordo com os limites estabelecidos pelo Senado Federal, sem fundamento na lei orçamentária ou na de crédito adicional ou com inobservância de prescrição legal.
###

6- FALSIDADE IDEOLÓGICA

Escondendo o rombo nas contas
Corre uma ação no TSE em que os partidos de oposição acusam acusa a presidente Dilma de esconder a situação real da economia do país, especialmente no ano eleitoral.
§  Enquadramento legal – Art. 299 do Código Penal: Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante.
###

7- IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Visita político-partidária a Lula
Dilma foi denunciada na Justiça por mobilizar todo um aparato de governo – avião, helicóptero, seguranças – para prestar solidariedade a Lula em São Bernard, um dia após o petista sofrer condução coercitiva para prestar depoimento à Polícia Federal no inquérito da Operação Lava Jato. O próprio ato de nomeação de Lula na Casa Civil pode ser enquadrado neste crime.
§  Enquadramento legal – Art. 11 da Lei nº 8.429/1992: Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições.

Identificado o pichador de igrejinha da Pampulha



O autor das pichações nas paredes da igrejinha da Pampulha, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) é Mário Augusto Faleiro Neto, de 25 anos, foi identificado, ouvido e indiciado pela Polícia Civil.
A rigor, não mudou nada. Essa “igreja” - projeto do Niemeyer - é horrorosa de qualquer jeito!

Depois dessa espero que não fique mais nada sem resposta à altura

quinta-feira, 24 de março de 2016

Eu me enganei: Zavascki é um petralha como outro qualquer

Eu fui otimista demais ao aventar a hipótese das notícias sobre as decisões de Zavascki estarem truncadas. Zavascki é um golpista igual a todos os outros que mancomunam com esse governo.

Carlos Newton: Ao atacar e ameaçar o juiz Moro, Zavascki desrespeitou esta Nação

É inacreditável, execrável e inaceitável a justificativa do ministro Teori Zavascki, ao responder à medida cautelar da Reclamação 23.457, ajuizada pela Advocacia-Geral da União contra o juiz federal Sérgio Moro. Apesar de o Supremo ter se transformado num tribunal atípico, que extrapola de suas limitações e até mesmo chega a legislar, conforme se constatou no julgamento do rito do impeachment presidencial, não se poderia esperar que o ministro-relator dos processos da operação Lava Jato pudesse chegar ao ponto de emitir uma decisão “ultra petita” (além do que foi pedido pelo reclamante).

“A esta altura, há de se reconhecer, são irreversíveis os efeitos práticos decorrentes da indevida divulgação das conversações telefônicas interceptadas. Ainda assim, cabe deferir o pedido no sentido de sustar imediatamente os efeitos futuros que ainda possam dela decorrer e, com isso, evitar ou minimizar os potencialmente nefastos efeitos jurídicos da divulgação, seja no que diz respeito ao comprometimento da validade da prova colhida, seja até mesmo quanto a eventuais consequências no plano da responsabilidade civil , disciplinar ou criminal” – diz o despacho de Zavascki.

Acontece que, na petição encaminhada ao Supremo, em nenhum momento a Advocacia-Geral da União aventou a possibilidade de processar o juiz Moro, seja civil, disciplinar ou criminalmente. Foi o ilustríssimo ministro Zavascki que se distraiu e teve esta brilhante ideia, sem lembrar que não deve fazer o trabalho dos advogados que representam as partes, pois sua incumbência de magistrado é estrita e restrita, limitando-se ao julgamento, sem sugerir a possibilidade de ações subsequentes.

Foi impressionante a contundência do eminente relator, ao agredir e vergastar o trabalho de um magistrado de escol, competente, corajoso e altivo, que tem defendido os interesses nacionais de forma exemplar.

Em sua decisão a favor da medida cautelar, Zavascki ataca o juiz Sérgio Moro de todas as formas, acusando-o até mesmo de ter autorizado “interceptações de um sem número de ramais telefônicos”, mas sem conseguir apontar nenhuma irregularidade que tivesse ocorrido nessas liberações judiciais.

Mais adiante, o relator opina que o juiz federal não tinha competência para analisar o conteúdo da conversas. Confiram: “Embora a interceptação telefônica tenha sido aparentemente voltada a pessoas que não ostentavam prerrogativa de foro por função, o conteúdo das conversas – cujo sigilo, ao que consta, foi levantado incontinenti, sem nenhuma das cautelas exigidas em lei – passou por análise que evidentemente não competia ao juízo reclamado”.

Esta colocação do ministro demonstra um rigor técnico juridicamente abominável. Por que dizer que as gravações estavam aparentemente voltadas para pessoas sem foro privilegiado? Ora, sabe-se que não foi autorizada gravação de nenhum político ou autoridade com foro privilegiado. Com isso, o relator mostrou estar agindo com excessiva e abusiva veemência.

Além disso, sua colocação equivocada dá a entender que o juiz Moro só poderia ter “analisado” conversas que envolvessem pessoas sem foro privilegiado e deveria descartar todas as demais gravações em que aparecem autoridades de foro privilegiado, vejam a que ponto chegou esta justificativa errônea e exagerada. Parodiando Ruy Barbosa, pode-se dizer que até as paredes do tribunal sabem que cabe ao juiz do processo analisar todas as provas colhidas no inquérito. Ao proceder à análise, se encontrar provas contra pessoas de foro privilegiado, o juiz tem de encaminhá-las à instância superior. Aliás, foi exatamente o que Moro fez, ao enviar as transcrições ao Supremo, antes desta decisão precipitada de Zavascki.

O pior, mesmo, foi o ministro ter denunciado que o juiz Moro levantou o sigilo “sem nenhuma das cautelas exigidas em lei”. É claro que o relator deveria citar tais cautelas e a própria lei, mas não o fez, porque isso rigorosamente não existe.

A legislação que ele apenas sugere estar mencionando é Lei 9.269/1996, inteiramente omissa a este respeito, pois não há qualquer referência a cautelas quanto ao levantamento do sigilo. Diante dessa lacuna legislativa, pode-se concluir, sem medo de errar, que o levantamento do sigilo ocorre quando a transcrição das gravações é anexada aos autos públicos, porque, como todos sabem e o ministro Zavascki não desconhece, a palavra “públicos” significa que esses processos são do povo, não têm mais sigilo e podem ser acessados e copiados por qualquer advogado, na forma da Lei 8.906.

Quanto à estapafúrdica afirmação de Zavascki, aventando a possibilidade de Dilma Rousseff responsabilizar penal, civil e administrativamente o juiz Moro e pedir indenização por dano moral (responsabilidade civil), convém repetir o que disse o jurista Jorge Béja, considerado a maior autoridade brasileira neste ramo do Direito:

“Isso não existe. A responsabilização civil, penal e administrativa de um juiz só ocorre se ficar provado que ele agiu com dolo e má-fé. Não é caso. Quanto à responsabilidade civil, vislumbrada por Zavascki, que não tinha nada a se meter nisso, esta tem de ser cobrada da União, por se tratar de um magistrado federal”, disse Béja, colocando uma pá de cal na questão.

Bem, já sabemos a opinião de Teori Zavascki e Marco Aurélio Mello, ambos são contra o juiz Sérgio Moro, e a posição de Gilmar Mendes, a favor. Faltam os outros nove ministros. E como dizia o genial publicitário e compositor Miguel Gustavo, meu vizinho no Edifício Zacatecas, o suspense é de matar o Hitchcock.


Obama, o rei da papagaiada

Cubama, a mistura insossa de Cuba com Obama

Fala sério! Só na cabeça de um babaca como Obama pode passar a ideia de querer ser fotografado junto à imagem de um assassino (sim, ele pediu).

Vilma Gryzinski: A triste farsa da visita de Obama a Cuba

Como saber se um acontecimento é ou não histórico? Primeira dica: se o principal envolvido começar a classificar um determinado ato seu de histórico, ele definitivamente não é. Na verdade, é apenas propaganda. Foi isso que fez Barack Obama em sua visita a Cuba, ensombrecida pela tepidez com que falou a e sobre os pobres dissidentes cubanos e confraternizou entusiasticamente com o ditador Raúl Castro.

Como Napoleão exibia de seus generais e Margaret Thatcher de seus ministros, políticos não precisam ser apenas bons no que fazem. É preciso que também tenham sorte. Tão bafejado pelos fados no início de sua carreira política, Obama ultimamente tem dado azar. Americanos e cidadãos de outros países foram estraçalhados em vários pedaços pelos terroristas que atacaram em Bruxelas num dos vários momentos em que ele demonstrava afeto e consideração pelo octogenário Raúl, exultante em pegar carona na popularidade do visitante.

Deve ser um plano do Estado Islâmico para aborrecer o presidente americano. Ele estava num jogo de golfe quando o vídeo do primeiro jornalista americano decapitado pelos terroristas foi divulgado. Entediado, interrompeu o jogo para falar rapidamente e voltou ao que interessava. Em Cuba, reservou exatamente 50 segundos para falar da atrocidade praticada pelos muçulmanos radicais na Bélgica.

Reatar relações com Cuba pode vir a se comprovar como uma boa manobra diplomática do ponto de vista dos interesses americanos. Para o regime cubano, é vital. Com a perda do petróleo e da proteção dos padrinhos bolivarianos da Venezuela, Cuba, como uma das tantas jineteras que seduzem turistas, precisa procurar outro senhor que a ajude. Em termos regionais, também interessa aos Estados Unidos preparar e estabilizar o catastrófico fim  do regime venezuelano que se avizinha.

Não é impossível que o tratamento brutal reservado aos poucos dissidentes cubanos se abrande, pelo menos por algum tempo, embora a corajosas integrantes do grupo Damas de Branco tenham levado pancada com Obama já em Cuba. O encontro do presidente com dissidentes, que estavam emocionados, foi morno e, da parte dele, covarde.

O jornal inglês The Guardian acompanhou dois dissidentes que assistiam pela televisão o principal discurso de Obama em Havana. Ailer González e Claudio Fuentes ficaram estarrecidos. Ao final do palavrório cheio de vento sobre o futuro, Fuentes, que havia apanhado da polícia no dia anterior, perguntou: “Quem ele pensa que é? Um guru? Esse discurso é um presente para Raúl Castro.”

Obama já havia criticado os Estados Unidos – atenção, o país que ele preside – por não ter sido mais bonzinho com Cuba e exaltado a farsa da saúde e da educação que o regime comunista provê aos cubanos. Enquanto ele falava, a maioria da população provavelmente sonhava com frangos.

Outro fato falsamente “histórico” foi a entrevista coletiva de Obama e Raúl Castro. Um jornalista americano perguntou se existiam presos políticos em Cuba. Adivinhem o que o ditador respondeu. Ele também disse que se o entrevistador desse os nomes dos presos, seriam libertados. O jornalista deveria então apresentar a lista com 89 nomes elaborada pela Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação. Dos 89, onze estão em liberdade vigiada e um em prisão domiciliar. Adivinhem se o jornalista ficou calado, achando que já tinha feito sua pergunta “histórica”.

Obama poderia ter feito toda a política de abertura a Cuba sem precisar aparecer ao lado do ditador, com o grafite gigante de Che Guevara ao fundo. Poderia até ter viajado a Cuba, para contrabalançar a visita muito mais importante à Argentina sob a presidência de Mauricio Macri, ao qual os Estados Unidos estão dando excepcionais manifestações de apoio. Não precisava levar a Cuba a mulher e as filhas, sempre uma prova de consideração além do script nas visitas de estado, mas Michelle provavelmente quis usar seu guarda-roupa novo, ao estilo tropical chique, cheio de vestidos estampados e decotados.

Obama não deveria, acima de tudo, ter ido ao jogo de beisebol que estava na agenda, mas deu  o azar de ser precedido pelos atentados na Bélgica. Obama foi assim mesmo, todo saltitante de camisa branca e óculos escuros, imitando o homem que talvez gostaria de ser, Jay Z, o ex-traficante que virou milionário da música e se casou com Beyoncé. O casal Obama praticamente surrupiou o estilo de Jay Z e Beyoncé quando visitaram Cuba. Só faltou o charuto, que Obama deve ter fumando escondido da mulher.

Na Argentina, o presidente americano deu outra coletiva, respondendo a perguntas sobre terrorismo e Estado Islâmico. Reiterou que sua prioridade é combater os radicais muçulmanos – só o fato de ter que reiterar isso já indica a tibieza com que trata o assunto. E criticou, sem dizer os nomes, as propostas dos pré-candidatos republicanos Donald Trump e Ted Cruz, que já falaram em suspender a entrada de refugiados vindos da Síria e outros países muçulmanos, para prevenir a infiltração de terroristas como os que atacaram na Bélgica, ou fazer terra arrasada nos territórios sob controle do Estado Islâmico.

Ambas as propostas podem ser realmente autodestrutivas. Mas ressalte-se o fato de que depois das atrocidades de Bruxelas, com uma dezena de vítimas americanas, Obama falou mal de adversários políticos internos. Foi outra prova de confusão política, falta de iniciativa e inapetência para enfrentar o enorme problema representado hoje pelo terrorismo islâmico. O que os dissidentes cubanos, tão poucos e tão acossados, poderiam esperar que viesse daí?

A visita de Obama a Cuba foi chamada pelos sicofantas de hábito de Cubama, um neologismo em inglês que não tem as mesmas conotações em português. Mesmo sem querer, criaram o nome certo para o homem certo no lugar errado.


Listão da Odebrecht, com 260 nomes, tem até Gilmar Rinaldi, da CBF

  1. (Beto Albuquerque)
  2. (indicação do PSDB)
  3. (indicação do PV)
  4. (Indicação Mendes Thame)
  5. (indicação PC do B)
  6. (Indicação Ricardo Barros)
  7. (indicações do Dep. Edinho Silva)
  8. Abelardo Leopoldo
  9. ACM Neto
  10. Adão Villaverde (PT-RS)
  11. Ademar Delgado
  12. Aécio Neves
  13. Afonso Hamm
  14. Agnaldo
  15. Agnelo Queiroz
  16. Aidan Ravin
  17. Alberto Castro
  18. Aldo Rebelo
  19. Alfredo Sirkis (PV)
  20. Aluizio Mercadante
  21. Ana Amélia Lemos
  22. Andre Corream(PMDB)
  23. Antero Paes
  24. Anthony Garotinho
  25. Antonio Ceron
  26. Antonio Donato
  27. Antonio Guarana (PMDB)
  28. Armando Monteiro (PTB Estadual PE)
  29. Arthur Maia
  30. Arthur Virgilio (MAN)
  31. Aspasia Camargo (PV)
  32. Atila Jacomussi
  33. Beto Mansur
  34. Brujo Araujo (PE)
  35. Bruno Cavalcanti
  36. Burnier (Nova Iguaçu RJ – PMDB Estadual RJ)
  37. Cacau Gomes
  38. Caiadinho (DEM)
  39. Candidato Neves (Neves / MG)
  40. Candidato Palmas (TOC)
  41. Candidato Porto Velho (PVE)
  42. Candidato Valadares (Valladares/MG)
  43. Carlito Mers
  44. Carlos Grana
  45. Carlos Martins
  46. Carlos Todeschini
  47. Carmem Gandarella
  48. Celso Russomano
  49. Cesar Epitacio Maia (DEM)
  50. César Souza Junior
  51. Champagne
  52. Chiquinho do Zaira
  53. Cicero Lucena (JPE)
  54. Clarissa Garotinho (PR)
  55. Cleiber Santana
  56. Cristiano Mateus
  57. Cristina Carrara
  58. Daniel Coelho (PE)
  59. Demandas EC
  60. Demir (Contagem / MG)
  61. Demóstenes Torres
  62. Dep Est Marcelo Nilo
  63. Dep Fed Artur Maia
  64. Dep Fed Jutahy Magalhães (SSA)
  65. Dep Federal Daniel Almeida
  66. Dep. Jose Otavio Germano
  67. Despota
  68. Dinha
  69. Diversos Vereadores
  70. Donizete Braga
  71. Dr. Aluísio (PV)
  72. Dr. Paulinho (PV)
  73. Duarte Nogueira (RPR)
  74. Dudu Rosalva
  75. Eduardo Campos
  76. Eduardo Cunha (Caranguejo)
  77. Eduardo Paes (Nervosinho)
  78. Edvaldo Brito
  79. Elias Gomes (JGR)
  80. Elias Gomes (PE – PSB Estadual PE)
  81. Fabio Branco (Colorido)
  82. Fatima Cleide (RO – anotado à caneta)
  83. Fernando Haddad
  84. Fernando Marroni
  85. Firmino Filho
  86. Firmino Filho (TER)
  87. Fischinha
  88. Francisco Chagas
  89. Francisco Daniel Celeguin de Moraes
  90. Francisco Dornelles (PP)
  91. Frederico Antunes
  92. Gabriel Chalita
  93. Gato Angora
  94. Geraldo – PT
  95. Geraldo Alckmin
  96. Geraldo Júlio (PSB)
  97. Geraldo Junior
  98. Gilmar Rinaldi
  99. Gilmar Sossela
  100. Giovani
  101. Guilherme Maluf (CUI)
  102. Gustavo Fruet (PDT-PR)
  103. Heitor Schulk
  104. Helen Cabral (PT-RS)
  105. Henrique Alves
  106. Heraclito Fortes
  107. Humberto Carballal
  108. Humberto Costa
  109. Isaac
  110. J. Agripino / G. Alves
  111. Jacques Pena (BSB – anotado à caneta)
  112. Jader Barbalho
  113. Jairo Jorge
  114. Jaison Cardoso
  115. Jaques Wagner
  116. Jarbas Vasconcelos Filho (PMDB)
  117. Jeferson Andrade
  118. Jeferson Andrade
  119. Jefferson Morais
  120. João Almeida (SSA)
  121. João Alves – DEM (ARA)
  122. João Alves Filho
  123. João Bosco Vaz
  124. João Carlos Nedel
  125. João Paulo Cunha
  126. João Paulo Rillo
  127. Jonas Donizette
  128. Jorge Bittar
  129. Jorge Felipe (PMDB)
  130. Jorge Picciani (Grego)
  131. Jorge Samek
  132. Jose Carlos Aleluia
  133. José Fortunati
  134. José Pavan Junior
  135. José Sarney (Escritor)
  136. José Serra (SÃO)
  137. Jose Zito (PP)
  138. Julio Lopes
  139. Jussara Cony
  140. Jussara Márcia
  141. Kevin Krieger
  142. Leonardo Prates
  143. Leonice da Paz
  144. Lessa
  145. Lindbergh Farias (PT)
  146. Lomanto Junior
  147. Luciano Ducci
  148. Luciano Ducci (PSB-PR)
  149. Luis Fernando Pezão (PMDB)
  150. Luis Sérgio
  151. Luis Tavares
  152. Luiz Fernando Faria
  153. Luiz Henrique Mandetta
  154. Luiz Marinho
  155. Luiz Paulo Veloso Lucas (VIX)
  156. Mano Changis
  157. Manuela D’Ávila
  158. Marcelo Esvim
  159. Marcelo Sereno
  160. Marcelo Sereno (PT)
  161. Marcia Lopes
  162. Marcia Lopes (PT-PR)
  163. Marcio Biolchi
  164. Marcio Lacerda / PSB (BHZ)
  165. Marco Alba
  166. Marco Maia
  167. Marconi Perillo
  168. Marcos Daneluz (MM)
  169. Maria do Carmo Lara (MG)
  170. Maria do Rosário (PT-RS)
  171. Mário Kertesz
  172. Marquinhos Bola
  173. Maurício Bacelar
  174. Mauro Poeta
  175. Mauro Zaquia
  176. Mazinho
  177. Mendonça Filho (DEM)
  178. Milton Leite
  179. Nelson Marchezan Junior
  180. Nelson Marquezan (POA)
  181. Nelson Pelegrino
  182. Nervosinho / Diversos
  183. Neto Richa
  184. Nilson Bonome
  185. Nilton Costa
  186. Orlando Tolentino
  187. Osmar Gasparini Terra
  188. Oswaldo Barba
  189. Otavio Leite (RJO)
  190. Otomar Vivian
  191. Pablo Mendes Ribeiro
  192. Patrus Ananias
  193. Paulinho da Força
  194. Paulinho Fiorella
  195. Paulo Abi-Ackel
  196. Paulo Azeredo
  197. Paulo Barbosa (SAN)
  198. Paulo Camara (SSA)
  199. Paulo Garcia
  200. Paulo Mello (PMDB)
  201. Paulo Melo
  202. Paulo Pereira da Silva
  203. Paulo Souto
  204. Paulo Teixeira
  205. Pedro Eugênio
  206. Pedro Eugênio (PT)
  207. Pedro Godinho
  208. Pedro Serafin
  209. Pinheiro
  210. Priante
  211. PT Curitiba
  212. Raimundo Colombo
  213. Raimundo Colombo (SC PSD Nacional)
  214. Randolfo (PSOL)
  215. Ratinho Junior (PSC-PR)
  216. Raul Jungmann (PE – PPS – Estadual PE)
  217. Reinaldo Azambuja (CGR)
  218. Renan
  219. Renato Casagrande (PSB-ES)
  220. Renato Moling
  221. Rita Camata
  222. Roberto Carlos de Sousa
  223. Roberto Freire
  224. Rodney Miranda
  225. Rodrigo Maia – DEM (RJO)
  226. Rodrigo Neves (PT)
  227. Rogerio Marinho (NAT)
  228. Romero (CGN)
  229. Romero Jucá
  230. Romero Jucá (Cacique)
  231. Ronaldo Zülke
  232. Roseana Sarney
  233. Rosinha Garotinho ((PR)
  234. Rui Palmeira (MAC)
  235. Sabino (PSC)
  236. Sebastião Almeida (SP PT Nacional)
  237. Sergio Aquino
  238. Sergio Cabral (Proximus)
  239. Sergio Machado (PMDB-RJ)
  240. Sérgio Sveiter (PSD)
  241. Severino Branquinho
  242. Silas Brasileiro
  243. Silval (PP)
  244. Soninha Francine
  245. Tarcila Crussius (POA)
  246. Tarcísio Zimmermann
  247. Tarso Genro
  248. Theotonio Vilella (MAC)
  249. Tiao Bucalon (RBR)
  250. Tito (PT)
  251. Tonha Magalhães
  252. Toni Proença
  253. Vander Loubet
  254. Vanessa Damo
  255. Vanessa Grazziotin (AM – PC do B Candidato)
  256. Vânia Galvão
  257. Vereadores PSDB-SP
  258. Waldir Pires
  259. Wandert Dilorenzo (POA)
  260. Wellington Dias (PI – anotado à caneta)